Avaliação dos efeitos metabólicos da chia (Salvia hispanica) em ratos (Rattus novergicus) com diabetes Mellitus induzido por aloxano

Autores

  • E. A. Andrade UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • R. R. Garcia UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • A. L. F. Cotia UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • C. C. D. Ferreira UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • T. C. F. Mendes UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • M. S. Pereira UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.1713

Palavras-chave:

Chia, diabetes mellitus, efeitos metabólicos,

Resumo

As plantas medicinais representam grande importância para manutenção das condições de saúde das pessoas. Há um crescente interesse mundial na utilização dessas práticas alternativas como tratamento complementar para algumas doenças como Diabetes mellitus. A chia (Salvia hispanica) é uma planta utilizada na prevenção do diabetes e controle da insulina, pois possui ação anti-inflamatória e grande capacidade de absorção de glicose. Entretanto, não existe nenhum experimento que confirme esse efeito metabólico. Baseado nisto, esta pesquisa tem como objetivo avaliar os efeitos metabólicos da semente da chia em ratos diabéticos. Foram utilizados 20 animais divididos em dois grupos, um grupo para indução de diabetes e outro grupo para controle. Na fase 1 do experimento todos os animais receberam chia por 15 dias. Após 10 dias de pausa no tratamento, os animais que voltaram a apresentar níveis glicêmicos superiores a 200 mg/dl, iniciariam a fase 2 do experimento, recebendo novamente a chia por três dias consecutivos. Os animais foram monitorados quanto ao peso, glicemia e aceitação da dieta. Sete ratas apresentaram níveis glicêmicos superiores a 200 mg/dl em jejum, uma média de 318,3 ± 28,2 mg/dl, confirmando o efeito hiperglicêmico do aloxano. A partir do 5º dia, todos os animais tratados apresentaram redução dos níveis glicêmicos até o final do tratamento (D15), cuja média foi de 146,0 ± 20,0 mg/dl, retornando aos valores próximos ao controle (104,7 ± 2,7 mg/dl). Os animais controle apresentaram níveis glicêmicos normais durante todo o uso da chia (68 – 96 mg/dl). Todos os animais apresentaram uma redução do peso (média) e na aceitação da dieta. Até o momento não foi identificado nenhuma alteração clínica nos animais tratados e controle. Os dados confirmam o efeito hipoglicêmico da chia, justificando o uso como possível linha de tratamento complementar aos indivíduos portadores de distúrbios endócrinos como diabetes e obesidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10/30/2012

Como Citar

ANDRADE, E. A.; GARCIA, R. R.; COTIA, A. L. F.; FERREIRA, C. C. D.; MENDES, T. C. F.; PEREIRA, M. S. Avaliação dos efeitos metabólicos da chia (Salvia hispanica) em ratos (Rattus novergicus) com diabetes Mellitus induzido por aloxano. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 7, n. 1 Esp, p. 33, 2012. DOI: 10.47385/cadunifoa.v7.n1 Esp.1713. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/1713. Acesso em: 1 jul. 2022.