Humanização por meio da música: um recurso terapêutico no cuidado da criança hospitalizada

Autores

  • A. O. Almeida UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • A. L. Alves UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • J. C. S. Aragão UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • N. D. P. Baumgratz UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • I. C. M. Silva UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • M. C. T. Souza UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.1908

Palavras-chave:

criança hospitalizada, gestão hospitalar humanizada, musicoterapia

Resumo

Este estudo trata da música como recurso terapêutico no cuidado de crianças no ambiente hospitalar. Entende-se a música como uma prática cultural e humana, constituindo-se numa experiência de caráter universal, que permite seu compartilhamento, não apenas como arte, educacional, mas também como terapia. O objetivo geral é contribuir para o processo de gestão hospitalar na linha de humanização, preconizada pelo SUS; como objetivos específicos: propor a adoção da música enquanto estratégia de cuidar; sensibilizar profissionais de saúde para o entendimento da música enquanto forma de enfrentamento de ansiedade, medo e stress por parte de crianças hospitalizadas. Este recurso mostrou-se como um método lúdico, prazeroso e agradável que pode ser utilizado no tratamento eficaz dessas crianças, na intenção de estimular sua memória afetiva. Optou-se por uma pesquisa bibliográfica nas bases de dados Lilacs, Medline e Bireme, no período compreendido entre os anos de 2005 e 2012, no sentido de referendar a musicoterapia como fator de minimização de tensões, dores, ansiedades e medos causados pela internação ou até mesmo como elemento de favorecimento de cura de alguns tipos de enfermidades. Espera-se contribuir para o ensino de profissionais que atuam na área de saúde, assim como na sua prática, acentuando a atenção e o cuidado humanizado e na pesquisa de gestão hospitalar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-10-30

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>