Caracterização morfológica das fibras da palmeira modificadas com óxido de zircônio

Autores

  • G. A. Martins UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • D. R. Mulinari UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v6.n2%20Esp.2293

Palavras-chave:

fibra da palmeira, óxido de zircônio, microscopia eletrônica de varredura

Resumo

Um dos parâmetros mais importantes em materiais compósitos é a interface entre o reforço e a matriz. A interface é a região onde ocorre o contato entre os componentes do compósito. A região interfacial é responsável pela transferência da solicitação mecânica da matriz para o reforço. A interação entre os componentes na região interfacial depende na prática de dois fatores: o grau de contato (molhabilidade) das superfícies na interface, e das forças coesivas (adesividade) nesta região. Estes fatores são interdependentes, pois, se não houver suficiente área de contato entre os componentes será difícil assegurar boa adesividade entre as fases. A molhabilidade de uma superfície pela outra depende por sua vez da energia superficial destas e da área superficial de contato. Em razão das diferentes naturezas das ligações químicas envolvidas e da diferença entre os coeficientes de expansão térmica, a adesividade na interface torna-se um parâmetro bastante complexo no desenvolvimento de compósitos. Muitos autores têm estudado a influência dos tratamentos químicos das fibras no comportamento mecânico dos compósitos a fim de otimizar estas características e promover a utilização destes compósitos como alternativas viáveis em substituição aos compósitos que utilizam fibras de vidro. Deste modo, tem sido aplicado o uso de agentes compatibilizantes e processos de modificação química para melhorar as propriedades do compósito final. Desta forma, neste trabalho foi proposta a modificação química nas fibras da palmeira com óxido de zircônio a fim de obter um material híbrido. A caracterização das fibras in natura e modificadas foi feita por meio da técnica e Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV). A morfologia das fibras da palmeira in natura apresentou uma superfície lisa, mas e com formas cilíndricas. No entanto, ao recobrir a superfície das fibras com óxido foi observado uma deposição de material, porém esta deposição não ocorreu homogeneamente. Também foi observado que a granulometria das fibras influenciaram na modificação das fibras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

17-08-2018

Como Citar

MARTINS, G. A.; MULINARI, D. R. Caracterização morfológica das fibras da palmeira modificadas com óxido de zircônio. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 6, n. 2esp, p. 50, 2018. DOI: 10.47385/cadunifoa.v6.n2 Esp.2293. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/2293. Acesso em: 15 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 > >>