Desenvolvimento de microestrutura ferrítica martensítica em aço baixo carbono durante laminação a quente em escala piloto

Autores

  • R. A. A. Tavares UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • L. H. P. Gaio UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • A. H. F. J. Almeida UFF - Universidade Federal Fluminense
  • A. S. Paula UFF - Universidade Federal Fluminense
  • P. Rodrigues Faculdade de Ciências Exatas, Engenharia e Agrimensura, Universidade Nacional de Rosário, Rosário, Argentina
  • M. I. S. T. Faria UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • G. Rodrigues UNIFEI - Universidade Federal de Itajubá

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v6.n2%20Esp.2310

Palavras-chave:

ferrítico-martensítico, aço baixo carbono, laminação a quente

Resumo

Foi estudado neste trabalho uma liga de aço de baixo carbono, contendo Mn, elaborado em escala industrial, a fim de se definir o procedimento de laminação a quente em escala piloto, relacionada com a temperatura de reaquecimento e a temperatura acabamento mínimo no campo da austenita, um tratamento térmico (imersão a temperatura de 1000 º C por 360s e aquecimento / taxa de resfriamento de 1 ºC / s) foi executado em um dilatômetro de têmpera (Adhamel, DT1000). Este aço foi laminado a quente em escala piloto no campo austenítico, com espessura de oito etapas de redução e resfriamento no ar até o campo inter-crítico (Ac3 e Ac1) com água de resfriamento subseqüente à temperatura ambiente, a fim de obter uma estrutura ferrítico-martensítico. A evolução microestrutural após o processamento foi avaliada por microscopia (óptica e eletrônica de varredura) e testes de dureza. As mudanças morfológicas e microestrutural nos grãos austeníticos após a etapa 8 da laminação a quente permitiram discutir possíveis fenômenos (recuperação e / ou recristalização dinâmica e estática, ou de não recristalização) associados com a composição química, durante o processamento termomecânico aplicado para o aço estudado. Com base na literatura, espera-se que Mn tenha desenvolvido um grão austeníticos deformados que afeta a nucleação de grãos ferríticos e martensíticos após a sua transformação no resfriamento controlado a nível de campo inter-crítico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-08-17

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>