Considerações sobre a avaliação do bem-estar fetal

Autores

  • Júlio Aragão Centro universitário de volta redonda Unifoa

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v4.n8.925

Resumo

A avaliação do bem-estar fetal é assunto de interesse na prática obstétrica, sendo seu impacto, na melhoria da assistência, inquestionável. Partindo desta premissa, o presente trabalho apresenta considerações sobre a avaliação do bem-estar fetal de forma a permitir ao profissional assistente uma melhor utilização de seus recursos diagnósticos. As indicações clínicas e melhores oportunidades de realização, diferentes métodos passíveis de utilização na avaliação, e diferentes prognósticos fetais nas situações encontradiças no dia-a-dia são também abordadas. Os diferentes métodos analisados são apresentados de forma a permitir sua melhor utilização na prática clínica diária com impacto positivo nos indicadores de saúde perinatal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

RIBEMONT-DESSAIGNES, A. & LEPAGE, G. Traité d’Obstétrique. Paris, Masson et cie., 1923.

BRASIL, Ministério da Saúde. Pré-natal e puerpério Atenção qualificada e humanizada - Manual Técnico, 2005

ROYAL COLLEGE OF OBSTETRICIAN AND GYNAECOLOGY . Eletronic Fetal Monitoring.The use and the interpretation of cardiotocography in intrapatum fetal surveillance. Evidence-based Guideline Number 8, 2001.

NOMURA, RMY; FRANCISCO, RPV; MIYADAHIRA, S; ZUGAIB, M. Cardiotocografia em gestações com diástole zero ou reversa nas artérias umbilicais: análise dos resultados perinatais Rev. Assoc. Med. Bras. v.49, n.1, 2003.

FRANCISCO, RPV; ZUGAIB, M. Análise crítica da dopplervelocimetria para avaliação da vitalidade fetal. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., Rio de Janeiro, v. 30, n. 4, 2008 .

KARSDORP, V. H. M.; VAN VUGT, J. M. G.; VAN GEIJN, H. P. Clinical significance of absent or reversed end diastolic velocity waveforms in umbilical artery. Lancet v. 344, 1994.

Downloads

Publicado

27-03-2017

Como Citar

ARAGÃO, Júlio. Considerações sobre a avaliação do bem-estar fetal. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 4, n. 8, p. 54–57, 2017. DOI: 10.47385/cadunifoa.v4.n8.925. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/925. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde