Considerações sobre a formação do Enfermeiro a partir da Integralidade na saúde e algumas contribuições freireanas

Autores

  • Andréia - Morés Universidade de Caxias - UCS
  • Eliana Maria do Sacramento Soares Universidade de Caxias do Sul
  • Suzana Boeira Universidade de Caxias do Sul

DOI:

https://doi.org/10.47385/praxis.v13.n25.2622

Palavras-chave:

Formação do enfermeiro. Integralidade na saúde. Dialógica freireana.

Resumo

Neste artigo apresentam-se os resultados de um estudo que teve como foco propor alternativas para a prática pedagógica que contribuem para a formação do enfermeiro, considerando-se o conceito de integralidade na saúde e a perspectiva dialógica de Freire. Para tanto, foi realizada uma pesquisa bibliográfica, cujo corpus de estudo foi constituído a partir das publicações do Portal de Periódicos CAPES (2009-2016). A análise foi realizada com base nos estudos de Bardin, que permitiu encontrar as seguintes categorias relacionadas às práticas pedagógicas para a formação do enfermeiro. A primeira está relacionada à docência humanizadora, como possibilitadora de um cuidado humanizado a partir do pensamento crítico e o contexto social na formação do enfermeiro. A segunda contempla a interdisciplinaridade como base para a integralidade do cuidado através de relações dialógicas constituídas pelo diálogo e pela escuta ativa. A terceira abrange o reconhecimento da multidimensionalidade do sujeito para o estabelecimento de uma relação dialógica desde sua singularidade e subjetividade. Assim, os resultados indicam que a atuação do docente que atua na formação do enfermeiro precisa estar pautada numa docência humanizadora a partir de relações dialógicas e práticas interdisciplinares. Indicam ainda a importância de entender o sujeito em formação na sua multidimensionalidade 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréia - Morés, Universidade de Caxias - UCS

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atualmente é professora na Área do Conhecimento de Humanidades da Universidade de Caxias do Sul (UCS), professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu/UCS). Pesquisadora e vice-líder do Observatório de Educação da UCS e membro do Grupo de Pesquisa Inovação e Avaliação na Universidade (InovAval/ UFRGS).

Eliana Maria do Sacramento Soares, Universidade de Caxias do Sul

Membro do corpo permanente do Programa de Pós-graduação, Mestrado e Doutorado em Educação, da Universidade de Caxias do Sul, atuando na linha de pesquisa Educação, Linguagem e Tecnologia. Líder do grupo de pesquisa Lavia - Laboratório de ambientes virtuais de aprendizagem. Membro do Observatório de Cultura de Paz, Direitos Humanos e Meio Ambiente e do Observatório de Docência, Inclusão e Cultura Digital da Universidade de Caxias do Sul. Participa de projetos de pesquisa, como coordenadora e como colaboradora, em temas relacionados à: formação docente no contexto da cultura digital; tecnologia e cognição; tecnologia digital e processos educativos; educação, cultura de paz e espiritualidade.  

Suzana Boeira, Universidade de Caxias do Sul

Professora da Universidade de Caxias do Sul. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Terapia Intensiva, atuando principalmente nos seguintes temas: enfermagem, sistematização da assistência de enfermagem, terapia intensiva, educação em enfermagem, ensino superior e inovação.

Referências

ANTUNES, Celso. Professores e professauros: reflexões sobre a aula e práticas pedagógicas diversas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 3. ed. Lisboa: Edições 70, 2004.

BAUER, Martin W.; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 9. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

BRASIL. Lei nº. 9.394, de 20/12/96. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Publicada no DOU de 20 dez. 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES nº. 3, de 7/11/2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Diário Oficial da união 09 nov. 2001; Seção 1.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humaniza/SUS: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. 4.ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2008.

COWAN, John. Como ser um professor universitário inovador. Porto Alegre: Artmed, 2002.

¬

______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

______. Pedagogia do oprimido.17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

______. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas a outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

______. À Sombra desta Mangueira. São Paulo: Olho d’Água, 2001.

HENRIQUES, R. L. M.; ACIOLI S. A Expressão do Cuidado no Processo de Transformação Curricular da FENF-UERJ. In: PINHEIRO R.; MATTOS R. A. de (org.). Cuidado: as fronteiras da integralidade. Rio de Janeiro: Hucitec/ ABRASCO, 2004.

LAKATOS, Eva M.; MARCONI, Marina de A. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projetos e relatórios, publicações e trabalhos científicos. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

WALDOW, Vera Regina. Cuidado humano: o resgate necessário. 3.ed. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 2001.

CECCIM, Ricardo; FEUERWERKER, Laura C. M. O Quadrilátero da formação para a área da saúde. In: PHYSIS: Rev. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 14(1):41-65, 2004. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/27642>. Acesso em: 2 maio. 2016.

CHIRELLI, Mara Quaglio; MISHIMA, Silvana Martins. A formação do enfermeiro crítico-reflexivo no curso de enfermagem da Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 11, n. 5, p. 574-584, out. 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692003000500003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 1º maio 2016.

LIMA, Juliana Oliveira Roque et al. The ethical-humanistic education of nurses: analyzing the pedagogic projects of the nursing courses in Goiânia (GO, Brazil). Interface - Comunic., Saude, Educ., v.15, n.39, p.1111-25, out./dez. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832011000400012. Acesso em: 12 nov. 2016.

LOUREIRO, Lucrecia Helena et al. O trabalho e a formação do agente comunitário de saúde. Revista Práxis, v. 9, n. 17, jun., 2017, ISSN online: 2176-9230 | ISSN impresso: 1984-4239. Disponível em:< http://revistas.unifoa.edu.br/index.php/praxis/article/view/675/1179>. Acesso em: 21 set. 2018.

NUNES, Emanuelle Caires Dias Araújo; SILVA, Luzia Wilma Santana da; PIRES, Eulina Patricia Oliveira Ramos. O ensino superior de enfermagem: implicações da formação profissional para o cuidado transpessoal. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 19, n. 2, p. 252-260, 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692011000200005&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 3 maio 2016.

PESSOA, Daniela França Barros. A formação crítico-reflexiva em enfermagem no contexto do fortalecimento do SUS: o que falam os professores e alunos. São Paulo. 2011. Tese (Doutorado em Enfermagem em Saúde Pública) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011. doi:10.11606/T.22.2011.tde-28112011-153517. Acesso em: 22 abr. 2016.

SILVA, Ana Paula Scheffer Schell da. A enfermeira e a corresponsabilidade pela formação do aluno em estágio curricular. Porto Alegre. 2012. Tese (Doutorado) - Escola de Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2012. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10183/39073>. Acesso em: 22 abr. 2016.

Downloads

Publicado

2021-06-24

Edição

Seção

Artigos