Morcegos como tema gerador para o ensino de ciências e educação ambiental nas escolas de ensino básico: uma abordagem cienciométrica

Andrew Vinícius Cristaldo da Silva, Fátima Cristina Duarte Ferreira Cunha, Valdênia Rodrigues Fernandes Eleotério

Resumo


O presente artigo buscar realizar um levantamento e caracterização de artigos relacionados a práticas de educação ambiental e ensino de ciências para conservação de morcegos, por meio de levantamento cienciométrico utilizando as bases de dados. Os trabalhos foram categorizados quanto ao ano de publicação, a localização e o direcionamento do estudo, agrupados e analisados. Os resultados permitem concluir que pesquisas relacionadas aos morcegos, como tema gerador de práticas de Educação Ambiental (EA) e Ensino de Ciências (EC), nas escolas de ensino básico são escassas e que divulgação científica favorece aqueles que creem que ainda é válido transformar o ensino.


Palavras-chave


Cienciometria. Desmistificação. Educação Científica.

Texto completo:

PDF

Referências


AMIN, M. & B. MABE, 2000. Impact factors: use and abuse. Perspectives in Publishing 1: 1–6

D’AMBROSIO, U. Educação para uma sociedade em transição. Campinas: Editora Papirus, 1999.

FENTON M. B, SIMMONS N. B 2015. Bats, a world of science and mystery, The University of Chicago Press, Chicago, 303 pp

FERREIRA, A. R. Meio ambiente: representações e prática dos professores e professoras de ciências e biologia. 2004. 117f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, 2004.

GUIMARÃES, M. A formação de educadores ambientais. 3ª edição. Ed. Papirus. Capinas, São Paulo, 2007.

KINGSTON, T. et. al. 2006. The Malaysian Bat Conservation Research Unit: Research, capacity building and education in an Old World hotspot. Proceedings of the National Seminar on Protected Areas. Kuala Lampur, Malaysia Department of Wildlife and National Parks.

KLUMPP, A.; ANSEL, W.; KLUMPP, G. & A. FOMIN. 2001. Um novo conceito de monitoramento e comunicação ambiental: a rede européia para a avaliação da qualidade do ar usando plantas bioindicadores (EuroBionet). Ver. Brás. Bot., n.4. supl., 511-518.

KUNZ, T.H.; FENTON, M. B. 2003. Bat Ecology. The University of Chicago Press, Chicago. 779p.

LARSEN, P. O., & Ins, M. (2010). The rate of growth in scientific publication and the decline in coverage provided by Science Citation Index. Scientometrics, 84(3), 575–603.

LIMA-RIBEIRO, M. S. et al. Análise cienciométrica em ecologia de populações: importância e tendência dos últimos 60 anos. Acta Sci. Biol. Sci., Maringá, v.29, n.1, p.39-47, 2007.

LOLIS, S. F., SANCHES-MARQUES, A. M. M., ARRUDA REIS, S. R., BENEDITO, E. Scientometric analysis of energetic ecology: primary production of aquatic macrophytes. Acta Scientiarum. Biological Sciences, v. 31, n. 4, p. 363-369, 2009.

LOUREIRO, C. F. B. Trajetória e fundamentos da Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2004

MEDELLIN, R. A. & GAONA, O. 1999. Seed dispersal bats and birds in forests and disturbed habitats of Chiapas, Mexico. Biotropica, 31:478-485.

MUGNAINI, R; JANNUZZI, P; QUONIAM, L. Indicadores bibliométricos da produção científica brasileira: uma análise a partir da base de Pascal. Ci. Inf. Brasília, v. 33, n. 2, p 128-131, maio/ago. 2004

OLIVEIRA, A. L. Educação Ambiental: concepções e práticas de professores de ciências do ensino fundamental. 2006. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual de Maringá. Maringá – PR, 2006.

PELICIONI, M. C. F. Educação Ambiental, qualidade de vida e sustentabilidade. Saúde e Sociedade. São Paulo. p. 19-31, 1998.

SATO, M. Formação em educação ambiental - da escola à comunidade. In: Panorama da Educação Ambiental no Brasil. Brasília: MEC, março de 2000, 5-13.

SAUVÉ, L. Para construir un patrimonio da investigación em educación ambiental.

Tópicos em Educación Ambiental, La Rioja, v. 2, n. 5, p. 51 -69, 2005

SIMON R, HOLDERIED MW, Koch CU, von Helversen O 2011. Floral acoustics: conspicuous echoes of a dish-shaped leaf attract bat pollinators. Science 333: 631-633.

SCAVRONI, J.; P., L. M. e U. W. 2008. Morcegos: realidade e fantasia na concepção de estudantes das áreas rural e urbana de Botucatu, SP. Revista Simbio-Logias. V. 1, n.2 Instituto de Biociências, Depto. Educação, UNESP, São Paulo, 2000. p.1-145.

SPINAK, E. Indicadores cienciometricos, Brasília, Ciência da Informação, v. 27, n. 2, p. 141-148, maio/ago 1998


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Cadernos UniFOA

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos UniFOA

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em:





  • Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.