PERCEPÇÕES DOS ESTUDANTES DO CURSO DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS NA DISCIPLINA BOTÂNICA APLICADA À FARMÁCIA E SEU CONHECIMENTO SOBRE PLANTAS MEDICINAIS

Leomar da Silva de Lima, Gabriela Santos da Silva, Graziela Cury

Resumo


A importância das plantas utilizadas como medicinais, desde aproximadamente 5000 a.C., bem como sua relevância como base para ciências Médicas e Farmacêuticas são fatos indiscutíveis. Até hoje, as plantas medicinais são utilizadas, de forma precária em comunidades carentes, mas também já são processadas pelas grandes indústrias farmacêuticas. Mediante a importância das plantas para a produção de fármacos, a grade de disciplinas do curso de Farmácia da UFAL, tem como disciplina obrigatória Botânica Aplicada à Farmácia. No entanto, já é observado, há algum tempo, certa falta de interesse dos alunos na disciplina. Com o intuito de compreender o real motivo do desinteresse dos estudantes, este trabalho realizou uma análise da relação dos discentes com o tema, para investigar o conhecimento dos graduandos a respeito das plantas medicinais e propor uma mudança na ementa da disciplina, e despertar um maior interesse por parte desses estudantes. Através da utilização de dois questionários entregues aos estudantes, foi possível coletar os dados necessários. Os resultados apresentaram diferentes opiniões dos discentes, as quais variaram desde os que consideram a disciplina interessante e importante para o curso, até os que sugeriram que a disciplina seja retirada da grade curricular. Com os dados obtidos foi possível compreender melhor a relação dos alunos com a disciplina e traçar métodos que possam deixá-la mais interessante.


Palavras-chave


Ensino1;Fármacos2;Fitoterapia3;UFAL4.

Texto completo:

PDF

Referências


CORRÊA, A. D.; VIEIRA, V.; LEITE, S. Q. M.; CORRÊA, F. P. Percepções dos discentes das graduações em Farmácia sobre o ensino de Homeopatia. Revista Práxis. 13: 91-103, 2015.

BARROS, S. M. S.; SIMÕES, K.; SILVA, M. P.; SOUZA, N.; FONSECA, S.; ROCHA, T. Levantamento de plantas medicinais com atividade antileishmania. Investigação. 15 (6), 2016.

BRITO, S. C. D.; RODRIGUES, W. Avaliação do marco regulatório na produção de medicamentos fitoterápicos no Brasil. Revista de Políticas Públicas. 9: 531-538, 2015.

CAVALCANTI-DANTAS, V. M.; MEDEIROS, K. L.; AZEVÊDO, V. T. K. B.; SANTANA, G. M.; PEREIRA, A. V.; GÓIS, M. B.; PEREIRA, M. S. V.; PEREIRA, J. V. Taninos: principal componente do extrato Piptadenia stipulacea (Benth) Ducke inibe o crescimento de cepas clínicas de Staphylococcus aureus de origem bovina. Biotemas. 29: 109-114, 2016.

FENALTI, J. M.; BACEGA, B.; MATA-SANTOS, T.; SANTOS, P. C.; SCAINI, C. J. Diversidade das plantas brasileiras com potencial anti-helmíntico. Vittalle – Revista de Ciências da Saúde. 28: 39-48, 2016.

FERREIRA, A. L. S.; BATISTA, C. A. S.; PASA, M. C. Levantamento etnobotânico nas diferentes realidades de ensino. Biodiversidade. 14: 60-73, 2015.

GUERRA, M. P.; NODARI, R. O. Biodiversidade: aspectos biológicos, geográficos, legais e éticos. In: Simões, C. M.; Schenkel, E. P.; Gosmann, G.; Mell, J. C. P.; Mentz, L. A.; Petrovick, P. R. (Org.). Farmacognosia: da planta ao medicamento. 5 ed. Porto Alegre/Florianópolis: Editora da UFRGS/ Editora da UFSC. p. 13-28, 2003.

LORENZI, H.; MATOS, F.J. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2002.

MATTA, A. P. L. F.; NASCIMENTO, G. E.; MATTA, S. L. P.; LEITE, J. P. V. Efeitos dos extratos alcoólicos de Pfaffia glomerata (Spreng) Pedersen e Anemopaegma glaugum (Mart) DC sobre rins de camundongos adultos. Multiverso. 1: 161-170, 2016.

NÓBREGA, J. S.; SILVA, F. A.; BARROSO, R. F.; CRISPIM, D. L.; OLIVEIRA, C. J. A.;. Avaliação do conhecimento etnobotânico e popular sobre o uso de plantas medicinais junto a alunos de graduação. Revista Brasileira de Gestão Ambiental. 1: 7-13, 2017.

NOGUEIRA, A. C. O.; SABINO, C. V. S.; CHAVES, A. C. A Botânica como diretriz nos cursos de fitoterapia para profissionais da saúde. 64º Congresso Nacional de Botânica. Belo Horizonte-MG, Brasil, 2013. p. 1-2.

RÍOS, J. L.; RECIO, M. C. Medicinal plants and antimicrobial activity. Journal of Ethnopharmacology. 100: 80-84, 2005.

SANTOS, K. A. S.; SILVA, E. S.; OLIVEIRA, M. R.; BORSATO, A. V. (2016). Rendimento do óleo essencial de folhas de Vitex agnus castus L. em diferentes períodos de coleta. Cadernos de Agroecologia. 11: 1-5.

SILVA, L. W. F. Plantas medicinais usadas pela população do município de Sertãozinho – Paraíba: um recurso didático no ensino médio – 56p. (Monografia Licenciatura em Ciências Biológicas / EAD) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa – PB, 2013.

SILVA, M. J. S. O papel social do farmacêutico no capitalismo. Lutas Sociais. 19: 39-52, 2015

SILVA, P. F.; ANDRADE, J. R.; LEITE, F. R. P. Farmacêutico: breve trajetória histórica de sua profissão e formação acadêmica. Revista Latino-Americana de Educação, Cultura e Saúde. 1: 19-26, 2017.

SOUZA, V. A.; LIMA, D. C. S.; VALE, C. R. Avaliação do conhecimento etnobotânico de plantas medicinais pelos alunos de ensino médio da cidade de Inhumas, Goiás. Revista Eletrônica de Educação da Faculdade Araguaia. 8: 13-30, 2015.

TROPICOS-HOME. - http://www.tropicos.org. Acessado em 9 setembro/2016.

VAN DEN BERG, M. E Plantas medicinais da Amazônia: contribuição ao seu conhecimento sistemático. Belém: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Programa Trópico Úmido - Museu Paraense Emílio Goeldi, 1987.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Praxis

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em: