Disciplinas integradoras no currículo médico: relato de operacionalização

Maria Cristina Almeida de Souza, Paula Pitta de Resende Côrtes, Eucir Rabello, Elisa Maria Amorim da Costa, João Carlos de Souza Côrtes Júnior, Marcos Antônio Mendonça

Resumo


Introdução: A abordagem interdisciplinar ainda está distante de se consolidar como prática pedagógica no cotidiano dos cursos de graduação. Entre as diversas estratégias disponíveis para atingir esse objetivo, se destaca a adoção de disciplinas integradoras, otimizadoras da interface entre os conteúdos curriculares, que vem contribuindo para que o estudante construa conhecimento integrado e contextualizado, facilitando o desenvolvimento de uma visão holística do ser humano. Método: trata-se de um relato de experiência acerca da operacionalização de Disciplinas Integradoras no currículo médico. Objetivo: descrever a operacionalização das Disciplinas Integradoras (DI) “Sistema de Integração Curricular e Comunidade I, II e III”, ofertadas respectivamente no primeiro, segundo e terceiro período do Curso de Medicina da Universidade Severino Sombra. As atividades práticas destas disciplinas integradoras têm uma característica peculiar que é atuação, em conjunto, dos alunos dos três primeiros períodos em atividades comunitárias. As situações vivenciadas e os casos clínicos observados nas atividades na comunidade são então, problematizados em sala de aula, em dois momentos teóricos do semestre letivo, por meio de fóruns de debate. Resultado: As DI promoveram a interdisciplinaridade ao tratar de temas comuns aos estudantes dos três períodos, estimulando o desenvolvimento da percepção de conjunto e do raciocínio clínico, evidenciando as interfaces entre os diversos temas abordados pelas disciplinas cursadas. Considerações finais: A atividade viabilizou o rompimento de barreiras disciplinares - estreitando a interface entre os conteúdos programáticos, a identificação pelo estudante, de sujeito do próprio conhecimento - com atitude dinâmica, participativa, crítica, questionadora, inventiva e autônoma no processo de aprendizagem, a valorização da construção coletiva do saber e do trabalho em equipe.


Palavras-chave


Educação médica. Medicina. Congresso como assunto.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em medicina. Resolução no.3, de 20 de Junho de 2014.

TREML, E.E.Z.F.; PEREIRA, L.; SCHOLZE, E. Prática Pedagógica Integradora nas Disciplinas do Curso de Ciências Contábeis de uma Universidade Comunitária do Norte de Santa Catarina: uma experiência interdisciplinar num devir. XXXV Encontro da ANPAD. Anais do EnANPAD 2011. Rio de Janeiro Setembro 2011. Disponível em Acesso em 02/02/2017.

CARABARETTA JUNIOR, V. Metodologia ativa na educação médica. Rev Med. v.95, n.3, p.113-21, 2016.

IGLESIAS, A.G.; BOLLELA, V.R. Integração curricular: um desafio para os cursos de graduação da área da saúde. Rev .Medicina (Ribeirão Preto), v.48, n3, p.265-72, 2015

SOUZA, M.C.A.; COSTA, E.M.A.; MENDONÇA, M.A.; GONÇALVES, S.J.C. Interdisciplinaridade no Ensino Superior: de Imagem-objetivo à Realidade! Rev bras educ med., v. 36, 1 Supl. 2, p. 158–163, 2012.

FEUERWERKER, L.C.M. Além do discurso de mudança na educação médica: processo e resultados. São Paulo: Hucitec, 2002.

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA. Curso de Medicina. Projeto Pedagógico. 2015. Disponível em http://www.uss.br/graduacao/medicina Acesso em 20/01/2017.

JAPIASSÚ, H. Dicionário básico de filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

FAZENDA, I.C. A Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia? São Paulo: Loyola, 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Praxis

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em: