MATERIAL EDUCATIVO SOBRE PREVENÇÃO DE SÍNDROME PULMONAR POR HANTAVÍRUS PARA CRIANÇAS INDÍGENAS HALITI-PARESÍ

Ana Cláudia Pereira Terças-Trettel, Bianca Carvalho da Graça, Ariadne Cristinne Pereira de Moura, Leonir Evandro Zenazokenae, Vagner Ferreira Nascimento, Thalise Yuri Hattori, Marina Atanaka, Elba Regina Sampaio de Lemos

Resumo


O estudo tem como objetivo descrever o processo de elaboração de um material educativo sobre a prevenção de hantavirose destinado às crianças indígenas Haliti-Paresí. Foi elaborada cartilha educativa bilíngue, nos idiomas Português (Brasil) e na lingua Aruak, porém nos dialetos Waymaré e Kozarini. O material foi destinado para as crianças indígenas Haliti-Paresí com idade inferior a 12 anos. Sua construção correu por meio de reuniões mensais na aldeia Bacaval, entre dezembro de 2014 a julho de 2015, com equipe multiprofissional. Enfatizou-se questões científicas sobre a doença, a fim de promover o aprendizado no qual a criança, de forma participativa e lúdica, (re)conhece o seu cotidiano e estabelece conexões entre exposição e risco e forma de prevenção. Os recursos como narrativas, perguntas, atividades interativas e ilustrações coloridas foram adotados como instrumentos. A elaboração da cartilha permitiu ressignificação do saber científico ao articular as rotinas do cotidiano e as vivencias como forma de percepção de vulnerabilidades e riscos e, até o fortalecimento do uso da língua nativa. Esse entrelaçamento das representações sociais e vivencias mostrou-se como importante estratégia no cuidado e oferta da assistência à saúde de forma mais integral e efetiva. 


Palavras-chave


Educação em Saúde; Criança; Infecções por Hantavírus.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTINI, E. et al. A Política de Atenção À Saúde Indígena no Brasil: breve recuperação histórica sobre a política de assistência à saúde nas comunidades indígenas. Conselho Indigenista Missionário: Brasília, 2013.

ARAGÃO, A.S. et al. Educação em saúde e enfrentamento de vulnerabilidades com adolescentes de programa social federal: um campo de fazer docente. In: III Congresso Internacional: trabalho docente e processos educativos. 2015.

AVELAR, P.M.S. A importância do lúdico no processo de ensino-aprendizagem na educação infantil. 93fl. Dissertação (Mestrado em Políticas Locais e Descentralização) - Universidade de Coimbra, 2013.

BARATIERI, T. et al. Longitudinalidade no trabalho do enfermeiro: relatos de experiência profissional. Rev Esc Enferm USP, v.46, n.5, p.1260-1267, 2012.

BASTA, P. C. et al. Perfil epidemiológico dos povos indígenas no Brasil: notas sobre agravos selecionados. In: Garnelo, L. (Org.). Saúde Indígena: uma introdução ao tema. Brasília: MEC-SECADI, 2012.

BERGER, S. Hantavirus Pulmonary Sindrome. Global status, 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Casos confirmados de hantavirose 1993-2015, Brasília: 2016.

CASTRO, A.N.P; JÚNIOR, E.M.L. Desenvolvimento e validação de cartilha para pacientes vítimas de queimaduras. Rev. Bras. Queimaduras, v.13, n.2, p.103-113, ago.-set, 2014.

COSTA, G.M. et al. A importância do enfermeiro junto ao PSE nas ações de educação em saúde em uma escola municipal de Gurupi – TO. Revista Científica do ITPAC, v.6, n.2, p.1-12, 2013.

COSTA, M.L.O. et al. Fazendo arte para aprender: A importância das artes visuais no ato educativo. Pedagogia em ação, v.2, n.2, p.95-104, 2010.

CRUZ, C.O. et al. Aplicação do programa de educação nutricional: sexta é dia de fruta? É sim senhor!. Revista Redes de Cuidados em Saúde, v.9, n.3, p.1-12, 2015.

DIAS, E. A importância do lúdico no processo de ensino-aprendizagem na educação infantil. Revista Educação e Linguagem, v.7, n.1, p.2-17, 2013.

FERNANDES, A.F. et al.. Construção e validação de cartilha educativa para alimentação saudável durante a gravidez. Rev Latino-Am. Enfermagem, v.22, n.4, p.611-620, 2014.

FERREIRA, F.B. O risco nas teorias sociológicas contemporâneas: Beck, Giddens e Luhmann. Raízes Jurídicas, v.7, n.2, p.135-144, 2011.

GOMES, A.L.Z; et al. O processo de construção de material educativo para a promoção da saúde da gestante. Rev Latino-Am. Enfermagem, v.20, n.1, p.1-8, 2012.

HJELLE, B; TORRES-PÉREZ, F. Hantaviruses in the Americas and Their Role as Emerging Pathogens. Viruses, v.2, n.12, p.2559-2586, 2010.

JÚNIOR, E.T. Práticas Integrativas e complementares em saúde, uma nova eficácia para o SUS. Estudos Avançados, v.30, n.86, p.99-112, 2016.

LEMOS, E.R.S; SILVA, M.V. Hantavírus. In: Coura, J.R.(Ed.). Dinâmica das doenças infecciosas e parasitárias. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

MARTINS, L. O lúdico como estratégia pedagógica: uma análise no processo de ensino para o desenvolvimento cognitivo na educação infantil. 44fl. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2015.

NEVES, R.C.M; et al. A relação de intermedicalidade nos índios Truká, em Cabrobó – Pernambuco. Saúde Soc., v.22, n.2, p.566-574, 2013.

NICHIATA, L.Y.I. et al. Potencialidade do conceito de vulnerabilidade para a compreensão das doenças transmissíveis. Rev esc enferm USP, v.45, n.2, p.1769-1773, 2011.

OLIVEIRA, R.C. et al. Hantavirus reservoirs: current status with an emphasis on data from Brazil. Viruses, v. 6, n. 5, p. 1929-1973, 2014.

OSTERMANN, A.C; SELL, M.A. Construção da significação da experiência do abuso sexual infantil através da narrativa. D.E.L.T.A., v.31, n.2, p.307-322, 2015.

PEIXOTO, C.S. Análise da produção de material indígena didático para a escola kyikatêjê. 82 fl. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação) ESE Almeida Garret, 2016.

PEREIRA, A.H. O pensamento mítico do Paresi (Segunda parte). Pesquisas, Antropologia. São Leopoldo: Instituto Anchietano de Pesquisas, 1987.

ROSA, ES.T. et al. Molecular epidemiology of Laguna Negra Virus, Mato Grosso State, Brazil. Emerg Infect Dis, v.18, n.6, p.982-985, 2012.

SILVEIRA, E.M.S. Cultura como Desenvolvimento entre os Paresí Kozarini.157fl. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) Natal - UFRN, 2011.

SIQUEIRA, H.C.H; ERDMANN, A.L. Construtivismo como método de pesquisa: possibilidade de geração de conhecimentos. Rev Enferm UERJ, v.15, n.2, p.291-297, abr.-jun. 2007.

TERÇAS, A.C.P. et al. Clinical research in indigenous lands: the experience with Haliti-Paresi. Rev enferm UFPE online, v.10, n.6, p.680-685, 2016a.

TERÇAS, ACP. et al. Os Haliti-Paresí: uma reflexão sobre saúde e demografia da população residente nas terras indígenas Paresí. Revista Espaço Ameríndio, v.10, n.1, p.226-253, 2016b.

TRAVASSOS, E.S. et al. Pygmy Rice Rat as Potential Host of Castelo dos Sonhos Hantavirus. Emerg Infect Dis, v.17, n.8, p.1527-1530, 2011.

VIAL, P.A. High-dose intravenous methylprednisolone for hantavirus cardiopulmonar syndrome in chile: a double-blind, randomized controlled clinical trial. Clin Infect Dis, v.57, n.7, p.943-951, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Praxis

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em: