Mapas conceituais em educação médica. Uma metodologia possível?

Autores

  • V. S. Gonzalez UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • S. K. A. Honório UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • D. F. Lauriano UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • M. L. Bianconi UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • C. Y. Utagawa UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v6.n2%20Esp.2349

Palavras-chave:

educação médica, conhecimento, avaliação

Resumo

Vários pesquisadores salientam a importância de se encorajar o uso do conhecimento médico baseado em práticas que incentivem o julgamento crítico, o pensamento crítico e a prática reflexiva. Segundo a teoria construtivista, o aprendizado se dá não só por memorização de novos fatos e conceitos, mas também por assimilação de informações dentro de uma estrutura de conhecimento, que deve ser bem elaborada e integrada para que a incorporação aconteça de maneira efetiva. Na educação médica, entretanto, a avaliação do aprendizado concentra-se no conteúdo e nas habilidades procedimentais, mas dificilmente consegue-se avaliar a qualidade da estruturação do conhecimento de um aluno. Elaborar mapas conceituais é vivenciar uma nova forma de organizar o conhecimento adquirido durante toda a vida. Diferente do modelo convencional de aprendizagem, em que se privilegia um estudo e o armazenamento do mesmo de forma fragmentada, os mapas conceituais nos proporcionam a organização desse conhecimento de um modo prático, dinâmico e integrado. Surge como proposta para reunir as informações e facilitar o acesso mental a elas. A premissa básica desse método é a utilização de conceitos por meio dos quais toda a “teia” do conhecimento é expandida. Dentro desse processo podemos identificar possíveis falhas na formação do aprendizado e assim fazer uma correção pontual antes de seguir na ampliação do mesmo. Relatamos a experiência da construção de três mapas conceituais construídos sequencialmente por acadêmicas do curso de Medicina e a evolução desses mapas após encontros instrucionais com a professora orientadora. Percebeu-se que a metodologia auxilia na estruturação de conhecimento do aluno, permitindo uma checagem dos conceitos a todo tempo para verificar se foram compreendidos de maneira correta; interação entre alunos e compartilhamento desse conhecimento. Consideramos que o mapa conceitual é uma ferramenta útil para o processo de construção do saber.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

17-08-2018

Como Citar

GONZALEZ, V. S.; HONÓRIO, S. K. A.; LAURIANO, D. F.; BIANCONI, M. L.; UTAGAWA, C. Y. Mapas conceituais em educação médica. Uma metodologia possível?. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 6, n. 2 Esp, p. 102, 2018. DOI: 10.47385/cadunifoa.v6.n2 Esp.2349. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/2349. Acesso em: 12 ago. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>