PERCEPÇÕES DOS ESTUDANTES SOBRE O ENSINO REMOTO E CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO PÓS-PANDEMIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47385/praxis.v13.n2sup.3971

Resumo

A pandemia da Covid-19 fez com que o ensino presencial fosse interrompido e implementado o ensino remoto emergencial para a continuidade das atividades pedagógicas em todos os níveis de ensino. Adaptações imediatas foram necessárias como o uso das tecnologias digitais que se tornaram imprescindíveis nesse formato de ensino. Este estudo relata as experiências pedagógicas remotas desenvolvidas nas aulas de Histologia com o uso de plataformas digitais e a percepção dos estudantes universitários sobre a abordagem implementada. As aulas e atividades foram disponibilizadas no Google Classroom e as atividades semanais foram realizadas nas plataformas digitais Quizizz e Formative. De forma geral, os estudantes tiveram um posicionamento favorável relativamente às aulas e às atividades remotas, reportando os desafios encontrados no ensino remoto emergencial. A partir da experiência, foram indicados pelos estudantes aspectos que poderiam ser mantidos no retorno das atividades presenciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Amélia Carvalho, Universidade de Coimbra

Doutora em Educação - Universidade do Minho (UM) - Braga - Portugal. Professora Catedrática na Universidade de Coimbra (UC), Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação - Coimbra, Portugal. Coordenadora do LabTe da Universidade de Coimbra. Investigadora do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20).

Downloads

Publicado

11-01-2023

Edição

Seção

Artigos