Projetar a vida na Pandemia

desafio da comunidade escolar em tempos de exceção

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v17.n49.3941

Palavras-chave:

Mundo do Trabalho, Pandemia, Geração Z, Escola Viva, Projeto de vida

Resumo

O presente artigo busca compreender de qual maneira o Programa Escola Viva gasta o tempo dos discentes na formação para o Mundo do Trabalho, principalmente os indivíduos cursando o Ensino Médio, considerando a faixa etária da Geração Z, com suas características particulares no que diz respeito a tecnologia e perspectivas de carreira, continuamente, a postura do Governo Estadual do Espírito Santo diante da Pandemia do COVID-19 na Educação, em razão do distanciamento social que ocasionou na suspensão das aulas presenciais no período inicial. Ademais, com aporte teórico no texto constitucional, em documentos normativos nacionais e estaduais expressos em portarias, decretos e resoluções, além da análise da disciplina “Projeto de Vida”, assim como os autores: Foucault (2019), Thompson (1998) e Byung-Chul Han (2017), entre outros. Metodologicamente, optou-se pela pesquisa explicativa, através da abordagem qualitativa e natureza básica, contando com o procedimento de pesquisa bibliográfica no que comunga o levantamento dessas fontes. Por fim, como resultados, é possível contemplar a juventude como um grupo ausente de experiência, de modo que a passagem da escola para o Mundo do Trabalho, na Escola Viva, é amparada nos pilares construídos junto ao Projeto de Vida pela díade da identidade pessoal e percepção do mundo ao redor, esse elemento permite mais do que ocupar o tempo do estudante no Turno Único da instituição de ensino, mas gastá-lo com garantia de retorno da autonomia incentivada de forma imperiosa no currículo.

 

Palavras-chave: Mundo do trabalho; Pandemia; Geração Z; Escola Viva; Projeto de Vida.

 

ABSTRACT

The article understands the search for how the Escola Viva o Tempo dos Estudantes Program in the present training for the World of Work, especially the private high school students, considering the Generation Z range, with its characteristics with regard to age Technology and career prospects, continuous, the stance of the State Government of Espírito Santo of the COVID-19 Pandemic in Education, due to the social distance that caused the suspension of face-to-face classes in the period. As well as the authors: Fouca Thompson (2019) and Byung: Fouca Thompson (2019) and Byung: Fouca Thompson (2019) and Byung: Fouca Thompson (2019) -Chul Han (2017), among others. Methodologically, an explanatory research was chosen, as well as through qualitative and basic research, counting on the bibliographic research procedure in which the survey of these sources shares. Finally, as a result, it is possible to contemplate youth as a group lacking experience, so that the transition from school to the World of Work, at Escola Viva, is supported by the pillars built with the Life Project by the dyad of personal identity. and the perception of the world around teaching, this element allows the student institution to occupy more time in the curriculum, but to spend it with a guarantee of the return of autonomy that is imperatively encouraged in the curriculum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Talytha Cardozo Angelo, Centro Universitário São Camilo

Pós-graduanda em Metodologia do Ensino de História pela Faculdade de Venda Nova do Imigrante. Graduada em História pelo Centro Universitário São Camilo-ES.

Rafael Magalhães Costa, Centro Universitário São Camilo

Mestre em Educação Profissional e Tecnológica pelo Instituto Federal do Espírito Santo. Especialista em Novas Tecnologias Educacionais pela Faculdades Integradas de Jacarepaguá, e História Política pela Universidade Federal do Espírito Santo. Graduado em História pelo Centro Universitário São Camilo-ES.

Referências

ADORNO, T. Indústria cultural e sociedade. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

BARBOSA, M. S. S. O papel da escola: Obstáculos e desafios para uma educação transformadora. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, p. 234, 2004.

BRASIL. Constituição. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. 1988. Brasília, DF: Presidência da República. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 24 set. 2021.

BRASIL. Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017. Dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação das IES e dos cursos superiores de graduação e de pós-graduação lato sensu, nas modalidades presencial e a distância, no sistema federal de ensino. Brasília: Diário Oficial da União nº 241.

BRASIL. Lei Complementar nº 799, de 12 de junho 2015. Cria o Programa de Escolas Estaduais de Ensino Médio em Turno Único, denominado “Escola Viva”, no âmbito do Estado, e dá outras providências. Vitória, 2015. Disponível em: <http://www3.al.es.gov.br/Arquivo/Documents/legislacao/html/lec7992015.html>. Acesso em: 07 out. 2021.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. 1996. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, Distrito Federal: Presidência da República, Casa Civil.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus - COVID-19. Brasília: Diário Oficial da União.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB nº 2, de 30 de janeiro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio.

ESPÍRITO SANTO. Resolução CEE/ES nº 3.777, de 31 de dezembro de 2014. Fixa normas para a Educação no Sistema de Ensino do Estado do Espírito Santo, e dá outras providências. Vitória: Conselho Estadual de Educação (CEE). 31 dez. 2014.

ESPÍRITO SANTO. Resolução nº 5.447/2020. Dispõe sobre o regime emergencial de aulas não presenciais no Sistema de Ensino do Estado do Espírito Santo, como medida preventiva à disseminação do COVID-19, e dá outras providências. Vitória: Conselho Estadual de Educação (CEE), 20 mar. 2020.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 10. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2019.

HAN, B. -C. Sociedade do cansaço. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

HARTLEY, Catherine; SOMERVILLE, Leah H. The neuroscience of adolescent decision-making. Current opinion in behavioral sciences, v. 5, p. 108-115, 2015. DOI: https://doi.org/10.1016/j.cobeha.2015.09.004

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã: Crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas. São Paulo: Editora Boitempo, 2007.

OLIVEIRA, G. M. Geração Z: Uma nova forma de sociedade. Orientadora: Professora Msc. Andrea Becker Narvaes. 2010, 92 p. Trabalho de Conclusão de curso (TCC) em Sociologia, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ).

RODRIGUES, Nara Caetano. Tecnologias de Informação e Comunicação na educação: um desafio na prática docente. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 6, n. 1, p. 1-22, jan-jun, 2009. DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8412.2009v6n1p1

Secretaria da Educação/ SETEC. Projeto Pedagógico Programa Escola Viva. Governo do Estado do Espírito Santo: SEDU, 2014. BRASIL. Disponível em: <https://sedu.es.gov.br/Media/sedu/pdf%20e%20Arquivos/Projeto%20Pedag%C3%B3gico%20-%20PROGRAMA%20ESCOLA%20VIVA-.pdf>. Acesso em: 29 maio 2021.

SOUZA, E. P. de. Educação em tempos de pandemia: desafios e possibilidades. Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas, [S. l.], v. 17, n. 30, p. 110-118, 2020. DOI: https://doi.org/10.22481/ccsa.v17i30.7127

THOMPSON, E. P. Tempo, disciplina de trabalho e capitalismo industrial. In: Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 1998, cap. 6, p. 267-304.

VITA, Carolina; MONTENEGRO, Rachel. A cultura do ter: na perspectiva da Geração Z. II CONINTER - Congresso Internacional Interdisciplinar em Sociais e Humanidades. Belo Horizonte, out. 2013. Disponível em: <http://www.rondinha.rs.leg.br/restrito/upload/parecerjuridico/35_88.pdf>. Acesso em: 22 maio 2021.

Downloads

Publicado

02-08-2022

Como Citar

TALYTHA CARDOZO ANGELO; RAFAEL MAGALHÃES COSTA. Projetar a vida na Pandemia: desafio da comunidade escolar em tempos de exceção . Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 17, n. 49, p. 123–132, 2022. DOI: 10.47385/cadunifoa.v17.n49.3941. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/3941. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Ciências Sociais Aplicadas e Humanas