Onde estão as mulheres arquitetas?

A atuação feminina na arquitetura teresinense nas décadas de 1970 e 1980

Autores

  • Amanda Moreira Doutora, Professora da Universidade Federal do Piauí e do Centro Universitário Santo Agostinho https://orcid.org/0000-0001-5551-3135
  • Jéssica Mayra Soares Monteiro Graduanda em Arquietura e Urbanismo no Centro Universitário Santo Agostinho 

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v18.n51.3985

Palavras-chave:

Arquitetura de Teresina;

Resumo

Este artigo insere-se na temática de estudo da historiografia da arquitetura brasileira, abordando a atuação e a produção arquitetônica feminina em meados do século XIX, profissionais pouco referenciadas na literatura referente à arquitetura brasileira. Toma como objeto de investigação as arquitetas atuantes nas décadas de 1970 e 1980 na cidade de Teresina, capital do Piauí, com o objetivo de levantar e analisar a atuação destas. Para tanto, vale-se de especialmente de entrevistas, busca em acervos públicos e privados de referências, imagens e projetos, além de extensa pesquisa bibliográfica. Como principais resultados, aponta-se a identificação destas profissionais invisibilizadas pela história, suas formações e atuações, evidenciando a importância das suas produções para o cenário arquitetônico local e contribuindo para a valorização do trabalho feminino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AFONSO, ALCILIA A. ; FEITOSA, Ana R. S. Negreiros. Documentos da Arquitetura Moderna no Piauí. 1. ed. Teresina PI: EDUFPI, 2010. v. 1. 280p.

ANTUNES, L. P. S. G. A arquitetura nunca mais será a mesma. considerações sobre género e espaço(s). URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 2–23, 2016. DOI: 10.20396/urbana.v7i2.8642600. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/urbana/article/view/8642600. Acesso em: 10 abr. 2022. DOI: https://doi.org/10.20396/urbana.v7i2.8642600

BALLARIO, C. A mulher e o mercado de trabalho. São Paulo: CREA-SP, 1997.

BEZERRA, N. Mulher e Universidade: A longa e difícil luta contra a invisibilidade. Anais da Conferência Internacional sobre os Sete Saberes. Fortaleza, Ceará, 2010.

COSTA, N. A S. O MODERNO NO URBANO: reflexos de uma arquitetura escolar no patrimônio cultural de Teresina. (1970-1985). Dissertação – (Mestrado) – Universidade Federal do Piauí, 2017.

DURAND, J. C. G. Arte, privilégio e distinção: artes plásticas, arquitetura e classe dirigente no Brasil, 1855/1985. São Paulo: Perspectiva, 1989.

FEITOSA, Ana R. S. Negreiros; CARVALHO, R. M. Acácio Gil Borsoi: produção arquitetônica moderna em Teresina. 1. ed. Teresina: 2017.

FERREIRA, Ana. O FEMININO NA ARQUITETURA: Mapeamento e Projeto Expositivo da contribuição das projetistas femininas do início do séc. XX à atualidade em Portugal e no Brasil. Dissertação – (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2018. ESAD - Escola Superior de Artes e Design, Matosinhos, 2019.

FONTES, M. L. Mulheres invisíveis: a produção feminina brasileira na arquitetura impressa no século XX por uma perspectiva feminista. Dissertação – (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília, 2016.

FRAISSE, Geneviève, PERROT, Michelle. Introdução: ordens e liberdades. In: DUBY, Georges, PERROT, Michelle. História das mulheres no Ocidente: o século XIX. Tradução de Cláudia Gonçalves e Egito Gonçalves. Porto: Edições Afrontamento; São Paulo: Ebradil, 1991.

LIMA, A. G. G. Arquitetas e Arquiteturas na América Latina do século XX. Dissertação – (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 1999.

LIMA, A. G. G. Revendo a história da arquitetura por uma perspectiva feminista. Tese de Doutorado. São Paulo, 2004.

LIRA, A. V. B. Difusão da arquitetura moderna: a obra do arquiteto Antônio Luiz Dutra de Araújo em Teresina. Dissertação – (Mestrado) – Instituto de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2018.

MONTEIRO, P. Mulheres Invisíveis. Princípios para uma reconstrução do discurso em Arquitetura. URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 55–64, 2016. DOI: 10.20396/urbana.v7i2.8642604. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/urbana/article/view/8642604. Acesso em: 10 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.20396/urbana.v7i2.8642604

MOREIRA, A. C. Teresina e as moradias da região central da cidade. Dissertação – (Mestrado) – Instituto de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2016.

SÁ, F. C. Profissão: Arquiteta. Formação profissional, mercado de trabalho e projeto na perspectiva das relações de gênero. Dissertação – (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2010.

RUBINO, S. Mundo da arquitetura esconde mulheres, diz historiadora. A folha de São Paulo. São Paulo, 31 de ago. de 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2019/08/mundo-da-arquitetura-esconde-mulheres-diz-historiadora.shtml Acesso em: 03 fev. 2020.

SALVATORI, E. Arquitetura no Brasil: ensino e profissão, 2008. Arquitetura, v. 4, n. 2, p. 52-57, jul./dez. 2003. DOI: https://doi.org/10.4013/arq.20082.06

SALVATORI, E. De arquitetura e gênero no Rio Grande do Sul. Conselho em revista – CREA RS, Porto Alegre, p. 27, 31 jul. 2019.

SIMAS, T. B.; DIAS, L. N., J. L. A. SILVA. Panorama do ensino público de Arquitetura e Urbanismo no Brasil em 2020. in: The Journal of Engineering and Exact Sciences – jCEC, v. 07, n. 01, 2021. DOI: https://doi.org/10.18540/jcecvl7iss1pp12075-01-12e

SOUSA, L. G. Arquitetura de feições brutalistas no Piauí: dez exemplares. Dissertação – (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2018.

Downloads

Publicado

23-03-2023

Como Citar

MOREIRA, A.; SOARES MONTEIRO, J. M. . Onde estão as mulheres arquitetas? A atuação feminina na arquitetura teresinense nas décadas de 1970 e 1980. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 18, n. 51, 2023. DOI: 10.47385/cadunifoa.v18.n51.3985. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/3985. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Ciências Sociais Aplicadas e Humanas