Avaliação de atividades educativas-curativas em saúde bucal realizadas em escolares do Ensino Fundamental de Marialva, Paraná

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v18.n52.4192

Palavras-chave:

Odontologia, Cárie Dentária, Epidemiologia, Índice CPO

Resumo

As atividades educativas e curativas são ações necessárias para o controle e prevenção da cárie dentária entre os escolares. O objetivo do estudo foi analisar a prevalência de cárie, hábitos deletérios, más-oclusões e resultados das ações curativas realizadas pela equipe de saúde bucal em escolares do município de Marialva/Pr. Os estudantes, lotados em uma escola municipal, foram submetidos ao exame clínico, preenchimento de odontograma inicial aplicando-se os índices CPO-D, ceo-d e ICDAS II. Os tratamentos realizados na escola consistiam em aplicação de verniz fluoretado, selantes, tratamentos restauradores atraumáticos e atividades educativas. Participaram do estudo 77 escolares de 5 a 12 anos, destes 33,7% encontravam-se livres da doença. A média total de dentes cariados foi de 1,29, o índice de ceo-d foi de 2,62 e o índice de CPO-D foi de 1,97. O código referente ao ICDAS II com maior prevalência foi o código 6, enquanto o código 4 foi o de menor prevalência. Ademais, 29,8% dos escolares possuíam algum tipo de hábito deletério e 45,4% apresentavam algum tipo de má oclusão. Assim, intervenções educativas e curativas, realizadas nos escolares foram efetivas, mostrando-se alta resolutividade. Além de conscientizar sobre a importância dos hábitos saudáveis, pontos importantes para a manutenção da saúde bucal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Mary Inagaki, Universidade Estadual de Maringá

Bacharel em Odontologia, Universidade Estadual de Maringá (UEM) – Maringá (PR), Brasil.

Tânia Harumi Uchida, Universidade Estadual de Londrina

Professora Adjunta do Departamento de Medicina Oral e Odontologia Infantil, Universidade Estadual de Londrina (UEL) – Londrina (PR), Brasil.

Josely Emiko Umeda, Universidade Estadual de Maringá

Pós-Doutora em Odontologia Integrada, Universidade Estadual de Maringá (UEM) – Maringá (PR), Brasil.

Patrícia Bergamasco, Universidade Estadual de Maringá

Mestranda em Odontologia Integrada, Universidade Estadual de Maringá (UEM) – Maringá (PR), Brasil.

Mitsue Fujimaki, Universidade Estadual de Maringá

Professora Associado do Departamento de Odontologia, Universidade Estadual de Maringá (UEM) – Maringá (PR), Brasil.

Referências

AGNELLI, P. B. Variação do índice CPOD do Brasil no período de 1980 a 2010. Revista Brasileira de Odontologia, Rio de Janeiro, v. 72, n. ½, p. 10-15, 2015. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-72722015000100002. Acesso em: 20 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.18363/rbo.v72i1/2.549

ALLISON, P. J.; SCHWARTZ, S. Interproximal Contact Points and Proximal Caries in Posterior Primary Teeth. Pediatric Dentistry, Chicago, v. 25, n. 4, p. 334-340, 2003. Disponível em: https://www.aapd.org/globalassets/media/publications/archives/allison4-03.pdf. Acesso em: 20 mar. 2021.

ANTUNES, J. L. F.; NARVAI, P. C. Políticas de saúde bucal no Brasil e seu impacto sobre as desigualdades em saúde. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 44, n. 2, p. 360-365, 2010. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034. Acesso em: 20 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102010000200018

BERTI, M.; FURLANETTO, D. L. C.; WALKER, M. M. S.; BALTAZAR, M. M. M.; BIANCHI, F. J. Levantamento epidemiológico de cárie dentária em escolares de 5 e 12 anos de idade do município de Cascavel, PR. Cadernos Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 4, p. 403-6, 2013. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-462X2013000400007. Acesso em: 13 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-462X2013000400007

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. SB Brasil 2010: Pesquisa Nacional de Saúde Bucal: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2011. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pesquisa_nacional_saude_bucal.pdf. Acesso em: 15 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise de Situação de Saúde. Saúde Brasil 2004 – uma análise de situação de saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_brasil_2004.pdf. Acesso em: 13 mar. 2021.

CARMINATTI, M., et al. Impacto da cárie dentária, maloclusão e hábitos orais na qualidade de vida relacionada à saúde oral em crianças pré-escolares. Audiology Communication Research, São Carlos, v. 22, p. 1-8, 2017. doi: https://doi.org/10.1590/2317-6431-2016-1801. Acesso em: 13 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/2317-6431-2016-1801

COSTA, M. M.; SOUTO, I. C. C.; BARROSO, K. M. A.; PAREDES, S. O. Fatores associados à experiência de cárie dentária em escolares da rede pública de um município de pequeno porte do Nordeste brasileiro. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, Vitória, v. 19, n. 3, p. 32-40, 2017. doi: https://periodicos.ufes.br/rbps/article/view/19562. Acesso em: 13 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.21722/rbps.v19i3.19562

FRENCKEN, J. E.; VAN’T HOF, M. A.; TAIFOUR, D.; AL-ZAHER, I. Effectiveness of ART and traditional amalgam approach in restorative single-surface cavities in posterior teeth of permanente dentitions in school children after 6.3 years. Community Dentistry and Oral Epidemiology, v. 35, n. 3, p. 207-214, 2007. doi: 10.1111/j.1600-0528.2006.00322.x. Acesso em: 13 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1600-0528.2006.00322.x

GODOI, J., et al. Perda precoce do primeiro molar permanente. Revista Eletrônica Acervo Científico, São Paulo, v. 4, p. 1-6, 2019. doi: https://doi.org/10.25248/reac.e729.2019. Acesso em: 13 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.25248/reac.e729.2019

International Caries Detection and Assessment System Coordinating Comitte – ICDAS. Criteria Manual. Bogota, Colombia: ICDAS; 2009. Acesso em: 13 mar. 2021.

ISMAIL, A. I., et al. Risk indicators for dental caries using the International Caries Detection and Assessment System (ICDAS). Community Dentistry and Oral Epidemiology, v. 36, n. 1, p. 55-68, 2008. doi: 10.1111/j.1600-0528.2006.00369.x. Acesso em: 20 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1600-0528.2006.00369.x

LIMA, J. E. O. Cárie dentária: um novo conceito. Revista Dental Press Ortodontia e Ortopedia Facial, Maringá, v. 12, n. 6, p. 119-130, 2007. doi: https://doi.org/10.1590/S1415-54192007000600012. Acesso em: 20 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-54192007000600012

LIMA, L. H. G., et al. Prevalência e severidade da cárie dentária em escolares do Ensino Fundamental de um município vulnerável. Revista de Odontologia da UNESP, Araçatuba, p. 1-9, 2020. doi: https://doi.org/10.1590/1807-2577.06320. Acesso em: 05 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-2577.06320

MALTZ, M.; TENUTA, L. M. A.; GROISMAN, S.; CURY, J. A. Cariologia: Conceitos Básicos, Diagnóstico e Tratamento não Restaurador. 1. ed. Porto Alegre: Editora Artes Médicas, 2016.

MASSARA, M. L. A.; ALVES, J. B.; BRANDÃO, P. R. G. Atraumatic Restorative Treatment: Clinical, Ultrastructural and Chemical Analysis. Caries Research, Amsterdã, v. 36, n. 6, p. 430-436, 2002. doi: https://doi.org/10.1159/000066534. Acesso em: 05 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1159/000066534

MITAYA, M.; BRUDVIK, P.; ASTROM, A. N. Prevalence of malocclusion and its relationship with sociodemographic factors, dental caries, and oral hygiene in 12 – to – 14 – year – old Tanzanian schoolchildren. European Journal Orthodontics, Oxford, v. 31, n. 5, p. 467-476, 2009. doi: 10.1093/ejo/cjn125. Acesso em: 05 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1093/ejo/cjn125

MONNERAT, A. F.; SOUZA, M. I. C.; MONERAT, A. B. L. Tratamento restaurador atraumático. Uma técnica que podemos confiar? Revista Brasileira de Odontologia, Rio de Janeiro, v. 70, n. 1, p. 33-36, 2013. doi: http://dx.doi.org/10.18363/rbo.v70n1.p.33. Acesso em: 05 fev. 2021.

MOYNIHAN, P.; PETERSEN, P. Diet, nutrition and the prevention of dental diseases. Public Health Nutrition, Cambridge, v. 7, n. 1, p. 201-226, 2004. doi: 10.1079/phn2003589. Acesso em: 05 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1079/PHN2003589

NUNES, V. H.; PEROSA, G. B. Cárie dentária em crianças de 5 anos: fatores sociodemográficos, lócus de controle e atitudes parentais. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 1, p. 191-200. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232017221.13582015. Acesso em: 05 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232017221.13582015

PALMER, C.; WOLFE, S. H. Position of the American Dietetic Association: the impact of fluoride on health. Journal of the Academy of Nutrition and Diettetics, v. 105, n. 10, p. 1620-1628, 2005. doi: 10.1016/j.jada.2005.08.017. Acesso em: 05 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jada.2005.08.017

PERES, K. G. A.; BASTOS, J. R. M.; LATORREA, M. R. S. O. Severidade de cárie em crianças e relação com aspectos sociais e comportamentais. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 34, n. 4, p 402-408, 2000. doi: https://doi.org/10.1590/S0034-89102000000400014. Acesso em: 05 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102000000400014

PERES, M. A., et al. Perdas dentárias no Brasil: análise da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal 2010. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 47, n. 3, p. 78-89, 2013. doi: https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2013047004226. Acesso em: 05 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2013047004226

PERES, M. A., et al. Determinantes sociais e biológicos da cárie dentária em crianças de 6 anos de idade: um estudo transversal aninhado numa coorte de nascidos vivos no Sul do Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, Rio de Janeiro, v. 6, n. 4, p. 293-306, 2003. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2003000400004. Acesso em: 05 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-790X2003000400004

PITTS, N., et al. Early Childhood Caries: IAPD Bangkok Declaration. International Journal of Paediatric Dentistry, v. 29, p. 384-386, 2019. doi: https://doi.org/10.1111/ipd.12490. Acesso em: 17 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1111/ipd.12490

RAMIRES, I.; BUZALAF, M. A. R. A fluoretação da água de abastecimento público e seus benefícios no controle da cárie dentária – cinquenta anos no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, n. 4, p. 1057-65, 2007. doi: https://doi.org/10.1590/S1413-81232007000400027. Acesso em: 17 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232007000400027

SÁ-PINTO, A. C., et al. Association between malocclusion and dental caries in adolescentes: a sysematic review and meta-analysis. European Archives Paediatric Dentistry, v. 19, n. 2, p. 73-82, 2018. doi: 10.1007/s40368-018-0333-0. Acesso em: 17 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1007/s40368-018-0333-0

SCHWENDICKE, F.; FRENCKEN, J.; INNES, N. Caries Excavation Evolution of Treating Cavitated Carious Lesions. 1. Ed. Basel: Karger, 2018. Acesso em: 17 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1159/isbn.978-3-318-06369-1

SHEIHAM, A.; JAMES, W. P. T. Diet and Dental Caries: The pivotal Role of free sugars reemphasized. Journal of Dental Research, v. 94, n. 10, p. 1341-1347, 2015. doi: https://doi.org/10.1177/002203451559037. Acesso em: 24 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1177/0022034515590377

SICCA, C., et al. Prevention of dental caries: A review of effective treatments. Journal of Clinical and Experimental Dentistry, v. 8, n. 5, p. 604-610, 2016. doi: http://dx.doi.org/10.4317/jced.52890. Acesso em: 25 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.4317/jced.52890

SIGAUD, C. H. S., et al. Promoção da higiene bucal de pré-escolares: efeitos de uma intervenção educativa lúdica. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 70, n. 3, p. 545-551, 2017. doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0237. Acesso em: 25 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0237

SILVA, J. M.; PENHA, E. S. Acesso a serviços odontológicos e perda dentária em crianças. Revista Rede de Cuidados em Saúde, Duque de Caxias, v. 9, n. 1, p. 1-11, 2015. Disponível em: http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/rcs/article/view/2405/1277. Acesso em: 25 mar. 2021.

SOUZA FILHO MDS, CARVALHO GDF, MARTINS MCC. Consumo de alimentos ricos em açúcar e cárie dentária em pré-escolares. Arquivos em Odontologia, Belo Horizonte, v. 46, n. 3, p. 152-159, 2010. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-09392010000300005. Acesso em: 25 mar. 2021.

STAHL L, GRABOWSKI R. Malocclusion and caries prevalence is there a connection in the primary and mixed dentitions. Clinical Oral Investigation, v. 8, p. 86-90, 2004. doi: 10.1007/s00784-003-0244-1. Acesso em: 24 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1007/s00784-003-0244-1

VALARELLI FP., et al. Importância dos programas de educação e motivação para saúde bucal em escolas: relato de experiência. Odontologia Clínica Científica, Camaragibe, v. 10, n. 2, p. 173, 2011. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-38882011000200015. Acesso em: 25 mar. 2021.

VELAPPALLY S., et al. The prevalence of malocclusion and its association with dental caries among 12-18-year-old disabled adolescentes. BMC Oral Health, v. 14, p. 123, 2014. doi: 10.1186/1472-6831-14-123. Acesso em: 24 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1186/1472-6831-14-123

Downloads

Publicado

20-04-2023

Como Citar

INAGAKI, J. M.; UCHIDA, T. H.; UMEDA, J. E.; BERGAMASCO, P. .; FUJIMAKI, M. Avaliação de atividades educativas-curativas em saúde bucal realizadas em escolares do Ensino Fundamental de Marialva, Paraná. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 18, n. 52, 2023. DOI: 10.47385/cadunifoa.v18.n52.4192. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/4192. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde