As potencialidades sígnicas da fotografia e seus usos na atualidade

Autores

  • Luiz Antonio Feliciano Faculdades Integradas Teresa D'Ávila Universidade estadual de Minas Gerais, Unidade Frutal

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v13.n36.1583

Palavras-chave:

Fotografia. Juventude. Escola. Subjetividades. Novas tecnologias.

Resumo

Este texto procura problematizar as potencialidades que a fotografia assume, num momento em que a imagem tem permeado grande parte das relações sociais e humanas. Com uma abordagem de caráter teórico- -ensaística, o trabalho discute a imagem fotográfica como representatividade sígnica e os seus usos na atualidade. Discorre-se também sobre as possibilidades heurísticas da fotografia, fomentadas pelas suas contextualizações nas rodas de conversa, sobretudo, na escola. Ao se “descascar” uma imagem, intensifica-se sua capacidade de mostrar algumas saídas ou, ainda, apontar novos caminhos para se percorrer. Percursos essenciais para a busca de uma compreensão mais clara do sujeito, do objeto e dos invólucros que os delimitam e os protegem. Espera-se, contudo, que o texto tenha conseguido suscitar esses questionamentos e outros tantos que forem possíveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Antonio Feliciano, Faculdades Integradas Teresa D'Ávila Universidade estadual de Minas Gerais, Unidade Frutal

Fotógrafo profissional desde 1994, graduado em Publicitário e Propaganda e Professor Universitário desde 2003. Doutor em Educação pela Faculdade de Educação-Unicamp e Mestre em Multimeios pelo Insstituto de Artes-Unicamp

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. 12ª Edição. São Paulo: Ed. Hucitec, 2006.

BARTHES, Roland. Aula. PERRONE-MOISÉS, Leyla (Trad.). São Paulo: Ed. Cultrix, 1996.

BATESON, Gregory. Mente e natureza: a unidade necessária. GERPE, Claudia (trad.). Rio de Janeiro: Ed. Francisco Alves, 1986.

CARTIER-BRESSON, Henri. O instante decisivo. In. _____. O imaginário segundo a natureza. AGUIAR, Renato (Trad.). Portugal: Editorial Gustavo Gili, 2004.

DAYRELL. Juarez. A escola “faz” as juventudes? Reflexões em torno da socialização juvenil. In: Educ. Soc., Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 1105-1128, out. 2007.

FONTCUBERTA, Joan. El beso de Judas: Fotografía y verdade. 4ª ed. Barcelona: Editorial Gustavo Gili SA, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Ed. Terra e Paz, 1997.

MACHADO, Arlindo. A Ilusão Especular. Introdução à Fotografia. Rio de Janeiro: Ed. Brasiliense, Funarte, 1984.

PAIS, José Machado. Nas rotas do quotidiano. In: Revista Crítica de Ciências Sociais, nº 37, s. L., junho/1993, p. 105-113.

SPOSITO, Marilia Pontes. Indagações sobre as relações entre juventude e a escola no Brasil: Institucionalização tradicional e novos significados. In: JOVENes, Revista de Estudios sobre Juventud. México, DF, ano 9, núm. 22, p. 201-227, jan.-jun. 2005.

SOUZA, Solange J. e. Infância e linguagem: Bakhtin, Vygotsky e Benjamin. 11ª ed. São Paulo: Papirus, 2008.

Downloads

Publicado

05/08/2018

Edição

Seção

Ciências Sociais Aplicadas e Humanas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)