Alimentação de Acheta domestica linnaeus, 1758 (insecta: orthoptera) em cativeiro

Autores

  • S. W. M. B. Vitor FTESM-Fundação Técnico Educacional Souza Marques,Rio de Janeiro
  • A. Bustamante FTESM-Fundação Técnico Educacional Souza Marques,Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Acheta, alimentação

Resumo

Há cerca de quatro mil espécies de grilos descritas, com quinhentas listadas na América Latina. Sua maior diversidade está em regiões tropicais úmidas. Em condições favoráveis multiplicam-se rapidamente, devido a seu ciclo vital curto que é aproximadamente de 47 a 60 dias do ovo ao adulto capaz de se reproduzir. Possuem corpo revestido de esqueleto quitinoso dividido em cabeça, tórax e abdômen; aparelho bucal mastigador; longas antenas filiformes; olhos compostos; asas anteriores do tipo tégminas e posteriores membranosas dobradas em leque sob as primeiras. Seu tamanho varia de alguns milímetros a alguns centímetros e sua coloração é parda. São encontrados em florestas, parques e jardins, onde se alimentam de folhas, frutos etc. Reproduzem-se durante todo o ano, embora ocorra maior atividade e maior oviposição nos períodos quentes. Escondem-se embaixo de plantas ou em fendas para evitar predação e desidratação. Cada indivíduo possui 5 a 6 estágios. Devido a facilidade de manejo e ciclo vital curto, com inúmeros indivíduos gerados em cada postura, são muito utilizados como alimentos vivos em diversas criações de cativeiro como a de rãs, lagartos, cobras, peixes e alguns invertebrados, pois são excelente fonte de proteína. Porém trabalhos sobre a criação de grilos são pouco divulgados. Sendo assim, esse trabalho teve como objetivo testar tipos de alimentação que proporcionem um crescimento saudável em cativeiro dos Acheta domestica com o intuito de utilizá-los como alimento para outros animais, pois a oferta de uma alimentação adequada para eles consequentemente atinge os indivíduos que os consomem. Durante o experimento, realizado desde março de 2007, foram distribuídas populações de cinquenta grilos recém-nascidos em caixas grandes e do mesmo tamanho, com as mesmas condições de temperatura, umidade e oferta de água. Alimentos de diferentes composições foram oferecidos. Concluiu-se durante esse período de testes e observação que a dieta com fibras e proteínas proporcionou um melhor desenvolvimento dos indivíduos, que chegaram a um tamanho de 2,0 a 2,5cm variando num período de 31 a 59 dias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

04-02-2019

Como Citar

VITOR, S. W. M. B.; BUSTAMANTE, A. Alimentação de Acheta domestica linnaeus, 1758 (insecta: orthoptera) em cativeiro. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 3, n. 1 esp, p. 15, 2019. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/2670. Acesso em: 1 mar. 2024.