Metacognição como proposta pedagógica nos cursos de Terapia Ocupacional: priorização do raciocínio clínico

Autores

  • Márcia Regina De Assis Universidade Federal do Rio de Janeiro Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde
  • Leonardo Valesi Valente Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro
  • Pedro Henrique Maraglia Universidade Federal do Rio de Janeiro Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde
  • Marcos Antônio Gomes Brandão Universidade Federal do Rio de Janeiro Escola de Enfermagem Anna Nery
  • Mauricio Abreu Pinto Peixoto Universidade Federal do Rio de Janeiro Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v13.n36.1330

Palavras-chave:

metacognição, raciocínio clínico, Terapia Ocupacional

Resumo

O raciocínio clínico é importante para a caracterização do domínio da prática em Terapia Ocupacional (TO), mas o seu aprendizado é difícil, em função de sua estrutura complexa que, ao incluir as dimensões científica, narrativa, pragmática e ética, implica na execução de variadas operações mentais pelo aluno no seu aprendizado e pelo profissional na sua atuação cotidiana. Este artigo objetiva apresentar a metacognição como recurso auxiliar para o ensino do raciocínio clínico em Terapia Ocupacional. Realizou-se estudo metodológico fundamentado em revisão narrativa que busca estabelecer interface entre o ensino do raciocínio clínico em TO e as bases teóricas e conceituais do domínio metacognitivo e da aprendizagem significativa. Percebe-se a necessidade de reflexão e pensamento crítico para fazer diagnóstico clínico em TO. A metacognição caracteriza-se pelo seu foco dirigido a esses processos e por sua capacidade de explicitá-los e de permitir o seu gerenciamento. No entanto na Terapia Ocupacional, o uso da metacognição ainda não faz parte das propostas de ensino-aprendizagem do raciocínio clínico. Dado o seu desempenho positivo em domínios similares, conclui-se ser factível o uso da metacognição para facilitar o ensino e o aprendizado do raciocínio clínico em TO.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMERICAN OCCUPATIONAL THERAPY ASSOCIATION (AOTA). Estrutura da prática da Terapia Ocupacional: domínio & processo 3ª ed. Rev Ter Ocup Univ São Paulo, v. 26, 2015 (ed. esp.), p.1-49. Traduzido para o português por Alessandra Cavalcanti et al.

ANDREATTA, I.; SILVA, J. G.; SUSIN, N.; FREIRE, S. D. Metacognição e Aprendizagem: como se relacionam? PSiCo, Porto Alegre, PUCRS, v. 41, n. 1, 2010, p. 7-13.

ANVERSA, A. C.; BORGES, J. M. Prática de estágio em terapia ocupacional na comunidade. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, v. 24, n. 4, p. 821-826, 2016.

ARAÚJO, K. S.; MAKOWSK, R. M. Estratégias de ensino aprendizagem no curso de enfermagem: a construção do saber clínico norteado pela saúde humana multidisciplinar. Colóquio Internacional de Educação 2014. Universidade do Oeste de Santa Catarina, 2014, P. 1094-1102.

AUSUBEL, D. P. Aquisição e retenção de conhecimentos: Uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Paralelo Editora, LDA. 1ª ed., 2000.

BRANDÃO, M. A. G.; PEIXOTO, M. A. P. Estratégias Metacognitivas para o ensino e aprendizagem de diagnósticos de enfermagem. In: HERDMAM, T. H.; NAPOLEÃO, A. M. A.; LOPES, C. T.; SILVA, V. M. (Org.). PRONANDA - Programa de Atualização em Diagnósticos de Enfermagem: Ciclo 4.ed. Porto Alegre: Artmed Panamericana, v. 2, 2016 p. 87-130.

CARRIER, A.; LEVASSEUR, M.; BE ́DARD, D.; DESROSIERS, J. Community occupational therapists’ clinical reasoning: Identifying tacit knowledge. Australian Occupational Therapy Journal, v.57, 2010, p. 356–365.

CORRÊA, C. G. Raciocínio clínico: o desafio do cuidar. Tese (Doutorado em Enfermagem). Escola de Enfermagem. Universidade de São Paulo, 2003. 175p.

DAHDAH, D. F.; FRIZZO, H. C. F.; FANGEL, L. M. V. Terapia ocupacional em contextos hospitalares – caracterização do ensino nos cursos de graduação universitários brasileiros. Rev Ter Ocup Univ São Paulo, v. 25 n. 1, p. 70-9, 2014

DAMIANI, M. F.; GIL, R. L.; PROTÁSIO , M. R. A metacognição como auxiliar no processo de formação de professoras: uma experiência pedagógica. UNIrevista, v.1, n 2, 2006, p. 1-14.

EICHBAUM, Q. G. Thinking about Thinking and Emotion: The Metacognitive Approach to the Medical Humanities that Integrates the Humanities with the Basic and Clinical Sciences. Perm J., v. 18, n.4, 2014, p.64-75.

FLAVELL, J.H. Metacognition and cognition monitoring: a new area of cognitive-developmental inquiry. American Psychologist, v.34, n.10, 1979, p. 906-911.

FORNAZIERO, C. C. et al. O Processo de Ensino e Aprendizagem do Raciocínio Clínico pelos Estudantes de Medicina. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 35, n. 2, 2011, p. 246 – 253

GUIMARÃES, D. S. L.; FALCÃO, I. V. Análise de atividades e formação do terapeuta ocupacional: um estudo com os preceptores de estágio da UFPE. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, v. 15, n. 2, p. 63-70, 2004.

JACOBS, K.; JACOBS, L. Dicionário de Terapia Ocupacional - Guia de referência. São Paulo: ROCA, 2006, 4ed, 248p.

JORGE, R. C. O objeto e a especificidade da Terapia Ocupacional. Belo Horizonte: Gesto, 1990, 95p.

JOU, G. I.; SPERB, T. M. A Metacognição como Estratégia Reguladora da Aprendizagem. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.19, n. 2, 2006, p. 177-185.

KIELHOFNER, G. A model of human occupation: theory and application. Baltimore, MD: Williams & Wilkins, 1995, 565p.

KIELHOFNER, G.; BURKE, J. P. A model of human occupation, part 1. Conceptual framework and content. Am J Occup Ther., v. 34, n. 9, p. 572-581, 1980.

KIELHOFNER, G.; HENRY, A. D.; WALENS, D. A User’s Guide to the Occupational Performance History Interview. The American Occupational Therapy Association (AOTA), 1989, 49p.

MANCINI, M. C.; COELHO, Z. A. C. Raciocínio Clínico em Terapia Ocupacional. In: DRUMOND, A. F.; REZENDE, B. M. Intervenções da Terapia Ocupacional. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

MARCOLINO, T. Q. Reflexões sobre a investigação do raciocínio clínico em terapia ocupacional em saúde mental: o caso do Método Terapia Ocupacional Dinâmica. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, v. 22, n. 3, 2014, p. 635-642.

NEVES, D. A. B. Meta aprendizagem e Ciência da Informação: uma reflexão sobre o ato de aprender a aprender. Perspectivas em Ciência e Informação, v. 12, n.3, p.116-128, 2007.

ORTEGA Y GASSET, J. Meditações do Quixote. São Paulo: Livro Ibero-americano, 1967.

PEIXOTO, M. A. P.; BRANDÃO, M. A. G.; SANTOS, G. Metacognição e tecnologia educacional simbólica. Rev. Bras. Educ. Med., v.31, n.1, p. 67-80, 2007.

PINHEIRO, R. Cuidado em Saúde. In: FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio. Dicionário da Educação Profissional em Saúde, 2009. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/cuisau.html. Acesso em: 29 dez. 2016

RADOMSKI, M. V. Planejamento, direcionando e documentando a prática. In: RADOMSKI, M. V; TROMBLY, C. A. Terapia Ocupacional para Disfunção Física. São Paulo: Santos, 2013.

RIBEIRO, C. Metacognição: Um Apoio ao Processo de Aprendizagem. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 16, n.1, p. 109-116, 2003.

RUAS, T. C. B.; LEITE, F. C.; AKERMAN, M. et. al. Experiência de um estágio curricular em Terapia Ocupacional na atenção primária: foco nas necessidades em saúde infantil. ABCS Health Sci., v. 40, n. 3, p. 312-317, 2015.

SALVADOR, C. C.; MESTRES, M. M.; GOÑI, J. O. et. al. Psicologia da Educação. Porto Alegre: Penso, 2014, 209p.

SAND, J. The use of reflection in medical education: AMEE Guide nº 44. Medical Teacher, v.31, 2009, p. 685-695.

SANTOS, G. Aprendizagem do diagnóstico fonoaudiológico clínico na perspectiva metacognitiva. Dissertação (Mestrado em Educação em Saúde) Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde (NUTES) Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2006. 190p.

SCHELL, B. B. Raciocínio Clínico: a base da prática. In: NESTAIDT, M. E; CREPEAU, E. B. Willard & Spackman - Terapia Ocupacional. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002, p. 80-89

SILVA, A. G.; PEIXOTO, M. A. P. Metacognição e aprendizagem do diagnóstico de enfermagem: experiências e perspectivas. Rio de Janeiro: Novas Edições Acadêmicas, 2015, 61p.

SILVA, A. G. I. PEIXOTO, M. A. P.; BRANDÃO, M. A. G.; FERREIRA, M. A.; MARTINS, J. S. A. M. Dificuldades dos estudantes de enfermagem na aprendizagem do diagnóstico de enfermagem, na perspectiva da metacognição. Esc. Anna Nery, v.15, n.3, 2011, p. 465-471.

SILVA, D. D. C.; SANTOS, I.; VARGENS, O. M. C. Metacognição como uma contribuição para as práticas educativas em enfermagem. Rev Enferm UERJ, v.23, n. 5, 2015, p.705-9.

STEDILE, N. L. R; FRIENDLANDER, M. R. Metacognição e ensino de enfermagem: uma combinação possível? Rev Latino-am Enfermagem, v.11, n. 6, 2003, p.792-799.

Downloads

Publicado

05/08/2018

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde