Desenvolvimento de metodologia expedita para avaliação de impactos ambientais em micro bacia do rio Paraíba do Sul

Autores

  • Francisco Jácome Gurgel Júnior Doutor em Ciências Ambientais e Florestais, Professor do curso de Engenharia Ambiental e Engenharia Civil do UniFOA.
  • Pedro França Magalhães Centro Universitário de Volta Redonda-UniFOA
  • Renato Donato Viana Centro Universitário de Volta Redonda-UniFOA
  • Mariana Avila Corrêa Cardoso de Oliveira Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v16.n46.3448

Palavras-chave:

Bacia Hidrográfica, Ferramentas de Gestão, Impactos Ambientais, Rio Bugio.

Resumo

A bacia hidrográfica é a unidade territorial de planejamento prevista pela Política Nacional de Recursos Hídricos (Lei Federal nº 9.433/97) para a gestão dos recursos hídricos e a ocupação irregular da mesma pela ação antrópica tem sido responsável pela ocorrência de inúmeros impactos ambientais negativos sobre os recursos ambientais existentes. A proposta deste estudo visa suprir a necessidade do estabelecimento de métodos simplificados que auxiliem a tomada de decisão pelo gestor ambiental e assim foi criada uma metodologia expedita a partir de ferramentas simples e de fácil acesso. Esta metodologia será de grande importância para auxiliar na tomada de decisão dos gestores ambientais e de técnicos dos órgãos fiscalizadores na busca pela proteção das bacias hidrográficas e mitigação dos impactos ambientas negativos provenientes do uso e ocupação desordenada do solo. O desenvolvimento da metodologia foi embasado em um referencial teórico da legislação ambiental vigente, referente ao uso e ocupação do solo, bacias hidrográficas, zoneamento municipal e demarcação de faixa marginal de proteção e utilizou o rio Bugio para a demonstração da mesma. A aplicação do método foi realizada através da coleta de dados primários, utilizando ferramentas de fácil acesso, como os dados fornecidos pelo site do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e pelo sistema de localização geográfica (geographiclocation) do AutoCAD. Com a coleta desses dados, foi possível realizar um diagnóstico da bacia hidrográfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Avila Corrêa Cardoso de Oliveira, Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA

Formada em Engenharia Ambiental, Pós Graduada em MBA de Gestão de Resíduos Sólidos, Pós Graduada em Auditoria e Perícia Ambiental e atuando profissionalmente como Consultora Ambiental.

Referências

AGEVAP. Relatório Anual de 2010. 59p.

BRASIL. Lei Federal nº 6.938/81. Política Nacional de Meio Ambiente. Brasília. Distrito Federal.

_______. Decreto Estadual nº 42.356, de 16 de março de 2010 - Anexo 2- Dispõe sobre o Tratamento e a Demarcação das Faixas Marginais de Proteção nos Processos de Licenciamento Ambiental e de Emissões de Autorizações Ambientais no Estado do Rio de Janeiro e dá outras providências, art. 4º. Disponível em: < http://200.20.53.3:8081/cs/groups/public/documents/document/zwff/mde0/~edisp/inea_014685.pdf> Acesso em: 07 de maio de 2017.

_______. Decreto Municipal nº 978/78 - Regulamenta o Sub-Zoneamento da ZH-X, criada pelo Decreto nº 942/77 e dá outras providências. Disponível em: Acesso em: 15 de maio de 2017.

_______. Lei Federal nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997 - Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989.

______. Lei Federal nº 12.651/12. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nos 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nos 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória no 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Brasília. Distrito Federal.

Cardoso, Christiany A., et al Caracterização Morfométrica da Bacia Hidrográfica do Rio Debossan, Nova Friburgo, RJ1- R. Árvore, Viçosa-MG, v.30, n.2, p.241-248, 2006.

Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente/FEEMA. Perfil do Município de Volta Redonda. Rio de Janeiro, 1991. 98p.

Magalhães, Cristiane R. - Bacia Hidrográfica como referência de Planejamento e Expansão Urbana para as Cidades no século XXI - Escola Politécnica Programa de Engenharia Urbana – UJRJ, p. 41 e 42, 2013.

Menezes, Paulo M. L; Neto, Ana Luiza C. - Escala: estudo de conceitos e aplicações, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Igeo – Dep. Geografia – Laboratório de Cartografia (GeoCart), 1999. Disponível em: < http://www.geocart.igeo.ufrj.br/pdf/trabalhos/Escala_Conceitos_Aplic.pdf>. Acesso em: 05 jun. 2017.

Melo, Danilo H. C. T. B. et al. - Aquisição e Leitura da Carta Topográfica Digital do IBGE, 2014, p. 192 e 193.

Speck, Henderson J. - Proposta de método para facilitar a mudança das técnicas de projetos: da prancheta à modelagem sólida (CAD) para empresas de engenharia de pequeno e médio porte - Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, p. 69 e 82, 2005.

Tucci, Carlos E. M.; Mendes, C. A. - Avaliação Ambiental Integrada de Bacia Hidrográfica – Ministério do Meio Ambiente / SQA, Brasília, p. 15, 2006.

Downloads

Publicado

26-08-2021

Como Citar

JÚNIOR, Francisco Jácome Gurgel; MAGALHÃES, Pedro França; VIANA, Renato Donato; DE OLIVEIRA, Mariana Avila Corrêa Cardoso. Desenvolvimento de metodologia expedita para avaliação de impactos ambientais em micro bacia do rio Paraíba do Sul. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 16, n. 46, 2021. DOI: 10.47385/cadunifoa.v16.n46.3448. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/3448. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

Tecnologia e Engenharias

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)