Proposta de criação de aplicativo para contribuir com a melhoria na gestão de resíduos sólidos urbanos

Autores

  • Monique Araújo de Sousa Engenheira Ambiental, Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA. https://orcid.org/0000-0002-8191-0422
  • Ana Carolina Callegario Pereira Engenheira Agrônoma, Mestrado e Doutorado em Agronomia (Ciências do Solo) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Coordenadora do Curso de Engenharia Ambiental. Departamento de Formação Profissional do Centro de Tecnologias e Engenharias, Centro Universitário de Volta Redonda – UniFOA. https://orcid.org/0000-0002-9140-8225
  • Cirlene Fourquet Bandeira Engenheira Química, Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Mestrado e doutorado em Engenharia Mecânica na área de Materiais pela UNESP-FEG. https://orcid.org/0000-0001-7034-2477
  • Joice Andrade de Araújo Engenheira Ambiental, Centro Universitário de Volta Redonda. Mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. https://orcid.org/0000-0003-1713-7268
  • Sérgio Roberto Montoro Engenheiro Químico, Escola de Engenharia de Lorena - Universidade de São Paulo. Mestrado em Engenharia de Materiais pela Escola de Engenharia de Lorena - Universidade de São Paulo e Doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - campus de Guaratinguetá. https://orcid.org/0000-0002-9272-3278

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v17.n48.3851

Palavras-chave:

Gestão de Resíduos Sólidos. Aplicativo Móvel. Postos de Descarte

Resumo

Grandes quantidades de resíduos sólidos urbanos são geradas no Brasil a cada ano e esses números têm crescido ao longo do tempo. Além disso, houve um aumento da quantidade desses resíduos encaminhados a destinações inadequadas. Tal cenário torna necessário o investimento em iniciativas direcionadas a gestão de resíduos sólidos. Por meio de uma revisão bibliográfica de abordagem qualitativa, o presente trabalho busca caracterizar a gestão dos resíduos sólidos urbanos do Brasil, com foco na destinação final. Este trabalho propõe-se a desenvolver um roteiro para criação de aplicativo móvel para a localização de postos de descarte de resíduos sólidos urbanos, visando auxiliar na gestão e conscientização da população sobre a necessidade de haver uma destinação adequada dos resíduos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PÚBLICA E RESÍDUOS ESPECIAIS - ABRELPE. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil 2020. São Paulo: ABRELPE, 2020. Disponível em: https://abrelpe.org.br/panorama-2020/. Acesso em: 8 jun. 2021.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 10.004/2004: Resíduos Sólidos – Classificação. 2ª ed. Rio de Janeiro, 2004.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL – BNDES. Visão 2035: brasil, país desenvolvido: agendas setoriais para alcance da meta. Rio de Janeiro: BNDES, 2018. Organizadores: Fernando Puga e Lavínia Barros de Castro. Disponível em: http://www.cosemssp.org.br/wp-content/uploads/2019/02/BN DES_Visao_2035_compl_P-Dez-2018.pdf. Acesso em: 15 nov. 2021.

BRASIL. Lei nº 12.305 de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a lei n.9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providencias. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.ht m. Acesso em: 8 jun. 2021.

CAMPOS, Heliana Kátia Tavares. Renda e evolução da geração per capita de resíduos sólidos no Brasil. Engenharia Sanitária e Ambiental, Brasília, v. 17, n. 2, p. 171-180, abr. 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/esa/a/kZn74jmyqBL5G NT4yxkD8Jk/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 7 jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-41522012000200006

FELIX, Gabriela Corrêa; COSTA, Mariana Fernandes da. Análise da gestão de resíduos sólidos urbanos no Rio de Janeiro frente à Política Nacional de Resíduos Sólidos. 2013. 121 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Ambiental, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: https://pantheon.ufrj.br/handle/11422/9256. Acesso em: 7 jun. 2021.

GONÇALVES, Marilson Alves; TANAKA, Ana Karolina; AMEDOMAR, André de Azevedo. A Destinação Final dos Resíduos Sólidos Urbanos: alternativas para a cidade de são paulo através de casos de sucesso. Future Studies Research Journal, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 96-129, jun. 2013. DOI: https://doi.org/10.24023/FutureJournal/2175-5825/2013.v5i1.112

GOUVEIA, Nelson. Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciência & Saúde Coletiva, [S.L.], v. 17, n. 6, p. 1503-1510, jun. 2012. FapUNIFESP (SciELO). DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s1413-81232012000600014. Disponível em: https://www.sci elo.br/j/csc/a/y5kTpqkqyY9Dq8VhGs7NWwG/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 7 jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000600014

GURGEL JÚNIOR, Francisco Jácome. Panorama da gestão de resíduos em Volta Redonda/RJ. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, n. 35, p. 35-46, dez. 2017. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/1227. Acesso em: 13 out. 2021. DOI: https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v12.n35.1227

HEMPE, Clea; NOGUERA, Jorge Orlando Cuellar. A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E OS RESIDUOS SÓLIDOS URBANOS. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, 2., 2012, Panambi. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental. [S.L.]: Universidad Federal de Santa Maria, 2012. p. 682-695. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reget/article/view/4117. Acesso em: 16 nov. 2021.

INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ. Gerenciamento de Resíduos. Curitiba: [s.n.], 2013. Disponível em: http://www.proedu.rnp.br/bitstream/handle/123456789/1378/Ge renciamento%20de%20Residuos.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 15 nov. 2021.

MARCATTO, Celso. Educação Ambiental: conceitos e princípios. 1. ed. Belo Horizonte: FEAM, 2002

MATOS, Beatriz Rezener Dourado; SILVA, João Gabriel de Britto e. Estudo comparativo entre o desenvolvimento de aplicativos móveis utilizando plataformas nativas e multiplataforma. 2016. 61 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia de Software, Universidade de Brasília, Brasília, 2016. Disponível em: https://fga.unb.br/articles/0001/5113/Beatriz_Joao_TCC_Aplicativos_M_veis.pdf. Acesso em: 18 nov. 2021.

PAULA, Rafael Souza de; MARCELINO, Frederico Fernandes. A utilização da tecnologia da informação como uma ferramenta para tomada de decisão na gestão dos resíduos sólidos urbanos recicláveis. 2018. 86 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Ambiental, Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, 2018.

RODRIGUES, J. M.; GONÇALVES, F. T.; COUTINHO, C. Aplicativos educacionais como proposta para abordagem da temática ambiental. Revista Brasileira de Educação em Ciências e Educação Matemática, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 189–201, 2020. DOI: 10.33238/ReBECEM.2020.v.4.n.2.24127. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/rebecem/article/view/24127. Acesso em: 16 nov. 2021. DOI: https://doi.org/10.33238/ReBECEM.2020.v.4.n.2.24127

SILVA, Myllena Matias da. Aplicativo sobre água e saúde: uma proposta educativa para o ensino das ciências ambientais. 2019. Dissertação (Mestrado em Ensino das Ciências Ambientais) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/36094. Acesso em: 16 nov. 2021.

SOUZA, Dércia Antunes de et al. Estratégias Inteligentes para desenvolvimento de aplicativos mobile multiplataforma. 2017. Disponível em: https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos17/12425177.pdf. Acesso em: 18 nov. 2021.

Downloads

Publicado

04/01/2022

Edição

Seção

Tecnologia e Engenharias