A influência do estado nutricional e ingestão alimentar na aprendizagem escolar

Autores

  • Anaflor Moreira
  • Nicolas Charon Moeda Benedetti
  • Margareth Lopes Galvão Saron
  • Alden dos Santos Neves
  • Elton Bicalho de Souza Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v10.n29.370

Palavras-chave:

Estado nutricional, Nutrição do adolescente, Saúde escolar

Resumo

Segundo a literatura, alguns nutrientes possuem efeito positivo no funcionamento do cérebro, e alguns estão relacionados à memória. Em contrapartida, uma alimentação desequilibrada exerce efeitos não desejados sobre a cognição, gerando declínio no desempenho. O objetivo do presente estudo foi verificar possíveis associações entre estado nutricional e ingestão alimentar com o rendimento escolar em alunos do 6º ao 9º ano de uma escola de Volta Redonda, RJ. Trata-se de um estudo transversal, onde foi aplicado um questionário, bem como o levantamento de dados nas fichas de registro. O estado nutricional foi mensurado através do índice de massa corporal. A avaliação do consumo alimentar foi aferida através de um questionário de frequência alimentar. Foi avaliado um total de 90 alunos, com maioria do sexo feminino e com maior prevalência de eutrofia e a maior parte dos participantes relatou realizar mais de 4 refeições por dia. Constatou-se ingestão inadequada de ômega 3, zinco, ferro, sódio e açúcar pela maioria dos participantes. No presente estudo não foi encontrada associação estatística significativa entre estado nutricional e consumo alimentar com o desempenho escolar da amostra, porém, observou-se alta prevalência na deficiência do consumo de ômega 3, zinco e ferro, e, excesso no consumo de sódio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACCIOLY, E.; SAUNDERS, C.; LACERDA, E. M. de A.. Nutrição em obstetrícia e pediatria. 2.ed. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 2009. 649p.

ARAÚJO, C. et al. Estado nutricional dos adolescentes e sua relação com variáveis sociodemográficas: Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), 2009. Ciência e Saúde Coletiva, v. 15, n. 2, p. 3077-3084, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Marco legal: saúde, um direito de adolescentes. Normas e Manuais Técnicos. Brasília, p. 60, 2007.

BERTI V. et al. Nutrient patterns and brain biomarkers of alzheimer’s disease in cognitively normal individuals. The journal of nutrition, health & aging. v. 19, n. 4, p. 413-423, 2015.

BHATNAGAR, S.; TANEJA, S.. Zinc and cognitive development. British journal of nutrition, v. 85, n. 2, p. 139-145, 2001.

BOS, D. J. et al. Reduced Symptoms of Inattention after Dietary Omega-3 Fatty Acid Supplementation in Boys with and without Attention Deficit/Hyperactivity Disorder. Neuropsychopharmacology, 2015.

BOURRE, J. M. Roles of unsaturated fatty acids (especially omega-3 fatty acids) in the brain at various ages and during ageing. The journal of nutrition, health & aging, v. 8, n. 3, 2004.

CAMPOS, J. A. D. B.; ZUANON, A. C. C. Merenda escolar e promoção de saúde. Brazilian Dental Science, v. 7, n. 3, 2010.

COZZOLINO, S. M. F.. Biodisponibilidade de nutrientes. 3. ed. Barueri: Manole, 2009. 1172 p.

DA VEIGA, G. V.; DA CUNHA, A. S.; SICHIERI, R. Trends in overweight among adolescents living in the poorest and richest regions of Brazil. American Journal of Public Health, v. 94, n. 9, p. 1544-1548, 2004.

DALLA COSTA, M. C.; CORDONI JÚNIOR, L.; MATSUO, T. Hábito alimentar de escolares adolescentes de um município do oeste do Paraná. Revista de Nutrição, v. 20, n. 5, p. 461-471, 2007.

GARCIA, G. C. B.; GAMBARDELLA, A. M. D.; FRUTUOSO, M. F. P. Estado nutricional e consumo alimentar de adolescentes de um centro de juventude da cidade de São Paulo. Revista de Nutrição, v. 16, n. 1, p. 41-50, 2003.

GLEWWE, P.; JACOBY, H. G.; KING, E. M. Early childhood nutrition and academic achievement: a longitudinal analysis. Journal of Public Economics, v. 81, n. 3, p. 345-368, 2001.

GOLUB, M. S. et al. Activity and attention in zinc deprived adolescent monkeys. The American Journal of Clinical Nutrition, v. 64, n. 6, p. 905-915, 1996

GOLUB, M. S. et al. Developmental zinc deficiency and behavior. The Journal of Nutrition, v. 125, n. 8, p. 2263-2271, 1995.

GOLUB, M. S. et al. Food preference of young rhesus monkeys fed marginally zinc deficient diets. Primates, v. 32, n. 1, p. 49-59, 1991.

GOLUB, M. S. et al. Modulation of behavioral performance of prepubertal monkeys by moderate dietary zinc deprivation. The American Journal of Clinical Nutrition, v. 60, n. 2, p. 238-243, 1994.

GOLUB, M. S. et al. Studies of marginal zinc deprivation in rhesus monkeys. IV. Growth of infants in the first year. The American Journal of Clinical Nutrition, v. 40, n. 6, p. 1192-1202, 1984.

GOLUB, M. S. et al. Studies of marginal zinc deprivation in rhesus monkeys. VIII. Effects in early adolescence. The American Journal of Clinical Nutrition, v. 47, n. 6, p. 1046-1051, 1988.

GÓMEZ-PINILLA, F. Brain foods: the effects of nutrients on brain function. Nature Reviews Neuroscience, v. 9, n. 7, p. 568-578, 2008.

GRANHOLM, A. C. et al. Effects of a saturated fat and high cholesterol diet on memory and hippocampal morphology in the middle-aged rat. Journal of Alzheimer's Disease, v. 14, n. 2, p. 133-145, 2008.

HAN, M., KIM, J. Effect of Dietary Iron Loading on Recognition Memory in Growing Rats. Ed. Brian Christie. PLOS ONE, v. 10, n. 3, 2015.

IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2002-2003: antropometria e análise do estado nutricional de crianças e adolescentes no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE; 2006.

INSTITUTE OF MEDICINE. Dietary reference intakes: the essential guide to nutriente requirements. Washington (DC): National Academy Press, 2006.

INSTITUTE OF MEDICINE. Dietary reference intakes for energy, carbohydrate, fiber, fat, fatty acids, cholesterol, protein, and amino acids. Washington (DC): National Academy Press, 2005.

INSTITUTE OF MEDICINE. Dietary reference intakes for vitamin A, vitamin K, arsenic, boron, chromium, copper, iodine, iron, manganese, molybdenum, nickel, silicon, vanadium, and zinc. Washington (DC): National Academy Press, 2002.

INSTITUTE OF MEDICINE. Dietary reference intakes for water, potassium, sodium, chloride, and sulfate. Washington (DC): National Academy Press, 2004.

LEAL, G. V. S. et al. Consumo alimentar e padrão de refeições de adolescentes, São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 13, n. 3, p. 457-467, 2010.

MAHAN, L. K.; ESCOTT-STUMP, S.; RAYMOND, J. L. Krause: alimentos, nutrição e dietoterapia. 13. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013. 1228 p.

MUÑOZ, P. et al. Iron Mediates N-Methyl-D-Aspartate Receptor-Dependent Stimulation of Calcium-Induced Pathways and Hippocampal Synaptic Plasticity. The Journal of Biological Chemistry, v. 286, n. 15, 2011

NETO, A. S. et al. Estado nutricional e consumo alimentar de adolescentes da rede pública de ensino da cidade de São Mateus do Sul, Paraná, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife, v. 8, n. 4, p. 435-443, 2008.

PONTES, R. et al. Influência da merenda escolar no estado nutricional. Cadernos da Escola de Saúde, Curitiba, v. 1, n 4, p. 64-77, 2010.

PRIORE, S. E. Nutrição e saúde na adolescência. PRIORE, Silvia Eloiza. Rio de Janeiro: Rubio, 2010. 460 p.

REZENDE, G. et al. Associação entre número de refeições diárias e excesso de peso em adolescentes. Nutrire, v. 34, n. Suplemento, p. 90-90, 2009.

SANTOS, J. S. et al. Perfil antropométrico e consumo alimentar de adolescentes de Teixeira de Freitas-Bahia. Revista de Nutrição, v. 18, n. 5, p. 623-632, 2005.

Downloads

Publicado

12/10/2015

Como Citar

MOREIRA, A.; CHARON MOEDA BENEDETTI, N.; LOPES GALVÃO SARON, M.; DOS SANTOS NEVES, A.; DE SOUZA, E. B. A influência do estado nutricional e ingestão alimentar na aprendizagem escolar. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 10, n. 29, p. 105–113, 2015. DOI: 10.47385/cadunifoa.v10.n29.370. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/370. Acesso em: 4 jul. 2022.

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)